ELEIÇÕES

Governistas avaliam que articulação será esvaziada

Aliados do governador Eduardo Campos acreditam que candidatura alternativa à PCR, articulada por Armando Monteiro, será esvaziada por "inanição política"

Paulo Augusto
Paulo Augusto
Publicado em 07/03/2012 às 0:21
Leitura:

Em público, o governador Eduardo Campos (PSB) não vem comentando o assunto sucessão do Recife e ontem, após a cerimônia de entrega de medalha a personalidades do Estado, em comemoração à Data Magna de Pernambuco, ele reforçou essa posição. Mas governistas muito próximos ao líder socialista avaliaram que a articulação comandada pelo senador Armando Monteiro Neto (PTB) deve se esvaziar por si própria, sem necessidade de uma intervenção externa, por "inanição política".

"Na hora de (o bloco alternativo) decidir ‘vamos ou não vamos lançar candidato’ todos vão sair. E duvido que alguém (no caso, o PTB) vá à disputa sozinho", avaliou um aliado, que pediu anonimato. "Se a coisa fosse para valer, esse nome (do prefeiturável) já teria surgido nessa reunião", advertiu outro, referindo-se ao encontro entre líderes do PDT, PSC, PRB e PP com Armando Monteiro, anteontem.

Leia matéria completa na edição desta quarta do JC.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias