Partidos

Humberto defende a cúpula petista

Se dizendo surpreso com a decisão de Maurício Rands, candidato do PT à PCR lamentou que a decisão tenha sido tomada de forma ?unilateral?

Sérgio Montenegro
Sérgio Montenegro
Publicado em 05/07/2012 às 0:41
Leitura:

O candidato do PT a prefeito do Recife, senador Humberto Costa, disse ter recebido com “surpresa” a notícia da saída do deputado Maurício Rands do partido e sua renúncia ao mandato. Em nota, Humberto lamentou que a decisão tenha sido tomada de forma “unilateral”, sem passar por um processo de discussão interna no PT, e reafirmou que, como candidato “espontâneo” à prévia do PT, Rands recebeu apoio de expressivas lideranças petistas.

Humberto procurou, na nota, rebater as críticas à direção nacional do partido feitas pelo deputado, que classificou como “autoritária” a decisão de anular a prévia e indicar o senador como candidato a prefeito. “Diante do acirramento da disputa e dos questionamentos jurídicos suscitados pelas prévias, o PT nacional buscou o entendimento entre os dois pré-candidatos e Mauricio Rands renunciou às prévias em prol desse entendimento”, justificou, assegurando que o ex-aliado nunca manifestou desconforto com as decisões partidárias.

DESILUSÃO

O presidente estadual do PT, deputado federal Pedro Eugênio, por meio de nota, reforçou as afirmações de Humberto, criticando a decisão “unilateral” de Maurício Rands. “Ao retirar o seu nome para favorecer o entendimento interno em torno do senador Humberto Costa, ele alegou o seu compromisso com o PT e o povo do Recife. Lamentamos a decisão individual do deputado (...)”, declarou.

Leia a matéria completa na edição desta quinta-feira do JC

VEJA A ÍNTEGRA DA NOTA DO SENADOR HUMBERTO COSTA

Nota do candidato Humberto Costa

Causa surpresa a decisão do deputado Maurício Rands de renunciar ao mandato e deixar a legenda. Como candidato espontâneo nas prévias convocadas para escolher o nome do PT na eleição municipal do Recife, Rands teve apoio de lideranças expressivas do partido.

Diante do acirramento da disputa e dos questionamentos jurídicos suscitados pelas prévias, o PT nacional buscou o entendimento entre os dois pré-candidatos e Mauricio Rands renunciou às prévias em prol desse entendimento.

No processo de definição da candidatura, Rands nunca havia manifestado desconforto com as decisões partidárias. Lamento que sua decisão tenha sido tomada de maneira unilateral, sem um processo de avaliação ou discussão interna do partido.

Reafirmamos a convicção de que o atual momento deve ser dedicado à discussão dos desafios da nossa cidade. Estamos trabalhando com determinação para avançar no processo de mudanças iniciado pelo PT no Recife. Seguimos em frente com Humberto Costa e João Paulo.


VEJA A ÍNTEGRA DA NOTA DE PEDRO EUGÊNIO

Nota do presidente estadual do PT sobre a carta do deputado Maurício Rands

1 – O Partido dos Trabalhadores, ao longo de 32 anos, fundamentou a sua prática política no debate interno, respeitando, democraticamente, em todas as suas instâncias, o direito à livre opinião e às divergências internas.

2 – O processo de prévias no Recife e a definição da candidatura do PT a prefeito foram orientados pelo estatuto do partido e decisões coletivas nas devidas instâncias partidárias, preservando, como sempre, a democracia interna.

3 – O deputado federal Maurício Rands participou de todo o processo de escolha do candidato, representando e sendo apoiado por expressivos setores e lideranças do partido. Ao retirar o seu nome para favorecer o entendimento interno em torno do nome do senador Humberto Costa, ele alegou o seu compromisso com o PT e o povo do Recife.

4 – Lamentamos a decisão individual do deputado e reafirmamos o nosso compromisso com o projeto democrático e popular que vem transformando o Recife e que legitima o PT e nossa chapa majoritária como a melhor opção para o Recife seguir mudando. 

Recife, 4 de julho de 2012

Pedro Eugênio

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias