ELEIÇÃO

Por ora, Mendonça não definirá alvo

Candidato do DEM é orientado a, por enquanto, não escolher alvo preferencial para o embate. A proposta é equilibrar as críticas entre os seus dois principais adversários

Débora Duque
Débora Duque
Publicado em 27/07/2012 às 7:15
Leitura:

Com o desafio de se contrapor a dois adversários de natureza “governista”, o deputado federal Mendonça Filho (DEM) tem sido aconselhado a equilibrar as críticas que dirige ao senador Humberto Costa (PT) e ao ex-secretário estadual de Desenvolvimento Econômico Geraldo Julio (PSB). A orientação é de que o democrata não escolha, por enquanto, um alvo preferencial para que não se repita o desfecho da campanha estadual de 2006.

Na época, Mendonça, segundo colocado nas pesquisas, centrou os ataques apenas em Humberto – inicialmente líder das intenções de votos – e terminou favorecendo, indiretamente, a candidatura de Eduardo Campos (PSB), que, ao final, saiu vitorioso da disputa. Nesta campanha, como o conflito entre os dois nomes que carregam o DNA governista tende a se acentuar, o oposicionista pretende deixar que ambos sejam “enforcados na própria corda”.

Embora, internamente, Geraldo Julio seja considerado o principal adversário de Mendonça no primeiro turno, a estratégia é que ele não foque apenas no socialista.

Leia mais na edição de hoje do Jornal do Commercio

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias