ELEIÇÕES

Numeriano vê o OP "degenerado"

Candidato da Frente de Esquerda, formada por PCB e PSOL, diz que o projeto foi "degenerado" pelo PT e defende reformulação da ferramenta

Carolina Albuquerque
Carolina Albuquerque
Publicado em 22/08/2012 às 6:19
Leitura:

O candidato majoritário do Recife pela Frente de Esquerda PCB-PSOL, Roberto Numeriano (PCB), fez duras críticas ao Orçamento Participativo (OP), marca registrada da gestão petista. “É um puxador de votos”, acusou o comunista, que é o único “cabeça de chapa” de uma candidatura majoritária do PCB nestas eleições, em entrevista nessa terça-feira (21) à Rádio JC/CBN. “A ideia do OP foi degenerada, hoje ele está ligado a lideranças do PT. É um instrumento manipulável”, denunciou. Como alternativa, Numeriano defende a reformulação da ferramenta petista, tratando-a por Orçamento Participativo Popular (OPP), que teria uma maior participação da comunidade além de fiscalização do processo de voto.

Em acordo com a ideologia partidária comunista, Numeriano se opõe também a várias propostas e práticas defendidas pelos candidatos de partidos maiores de centro-esquerda e direita. É contrário ao financiamento privado de campanhas, à proposta de armar a guarda municipal e até de colocar o ônibus no centro das soluções de mobilidade urbana. Para ele, o Veículo Leve sobre Trilho (VLT) deve ser priorizado. “É mais rápido e menos poluente que o ônibus. Está no nosso programa construir essas linhas de VLT nos grandes corredores do Recife”, disse.

Também criticou a ideia de que o Recife precisa de um gestor e não de um político. “Essa é uma visão tecnicista e burocrática da cidade. O prefeito deve ser, em primeiro lugar, um político e ter competência de gestor. Deve se cercar, sim, de bons técnicos. É a boa política que traz a sociedade para dialogar. Digo isso como político, mas também como cientista político”, ponderou. Ao defender tal posicionamento, ele atacou a candidatura do ex-secretário estadual Geraldo Julio (PSB). “O governador não contente em governar Pernambuco de modo imperial, quer colocar Geraldo aqui”, alfinetou.

Últimas notícias