NOTAS FRIAS

Geraldo na gestão Fenelon em 2003

Prefeiturável do PSB foi nomeado secretário de Finanças de Paulista por Aguinaldo Fenelon em 2003 quando este assumiu a prefeitura

Gilvan Oliveira
Gilvan Oliveira
Publicado em 15/09/2012 às 6:10
Leitura:

Em meio à iniciativa do Ministério Público de Pernambuco (MPPE) contra o candidato Daniel Coelho (PSDB) – no caso do escândalo das notas frias na Câmara Municipal –, uma nova informação sacudiu os bastidores da campanha. O também prefeiturável Geraldo Julio (PSB) foi secretário de Finanças de Aguinaldo Fenelon, atual procurador-geral de Justiça, quando este assumiu a Prefeitura do Paulista (Grande Recife), em dezembro de 2003. Fenelon, então filiado ao PSB, partido do governador Eduardo Campos, era vice-prefeito de Antônio Speck (PTB, mas na época PMDB) e assumiu o Executivo após o afastamento do petebista por ordem de um juiz da cidade, acolhendo acusações de que ele teria cometido atos de improbidade administrativa. Na ocasião, Speck e Fenelon estavam rompidos havia mais de um ano.

O hoje chefe do MPPE passou menos de uma semana à frente da Prefeitura de Paulista - mais precisamente, entre os dias 12 e 16 daquele mês. Uma segunda decisão do Tribunal de Justiça (TJPE) determinou o retorno de Speck ao cargo. Mas ao assumir nesse breve período, Fenelon nomeou de imediato cinco secretários, entre eles Geraldo Julio.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias