NACIONAL

Eduardo diz que o PT não retribui seu apoio

Em evento de turismo, no Rio, o governador reclamou da baixa reciprocidade do PT em apoiar candidatos do PSB e insistiu que as alianças com o PSDB não visam 2014

Da Agência Estado
Da Agência Estado
Publicado em 25/10/2012 às 6:13
Foto: Clemilsom Campos/JC Imagem
Em evento de turismo, no Rio, o governador reclamou da baixa reciprocidade do PT em apoiar candidatos do PSB e insistiu que as alianças com o PSDB não visam 2014 - FOTO: Foto: Clemilsom Campos/JC Imagem
Leitura:

RIO - O governador de Pernambuco e presidente nacional do PSB, Eduardo Campos, reclamou nessa quarta-feira (24) que o PT não retribui na mesma proporção o apoio que recebe de seu partido no segundo turno da eleição municipal. Apesar dessa avaliação, ele insistiu que as alianças do PSB com o PSDB não foram feitas em função das eleições de 2014.

“No primeiro turno o PSB foi o partido que mais apoiou o PT, mas só é notícia quando a gente não apoia. No segundo turno, o PT disputa em 17 cidades e nós os apoiamos em 11. Nós disputamos em oito cidades e só em uma o PT nos apoia, desde o primeiro turno, que é o município de Duque de Caxias (RJ). E esse apoio só veio por uma ação direta da Executiva Nacional do PT e do próprio presidente Lula. Isso é um fato real”, afirmou o governador durante visita ao estande de Pernambuco de uma feira internacional de turismo realizada no Rio.

Eduardo disse ter conversado com o senador e ex-governador mineiro Aécio Neves (PSDB), que esteve em Campinas para apoiar o candidato socialista. Na conversa, Aécio repetiu a brincadeira de que nessas eleições usou mais adesivos do 40 (número do PSB) do que do 45 (número do PSDB). “Recebemos o apoio do PSDB, no segundo turno, em Uberaba e Campinas. Somos gratos por isso. Essas parcerias vêm de algum tempo, não são feitas em função das próximas eleições”, disse o governador pernambucano.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias