PARTIDOS

Cadoca deixa PSC e acusa venda da sigla

Deputado deixa a sigla após ter sido destituído da presidência do PSC-PE. Ele diz que o diretório "foi vendido" ao ex-prefeito Lula Cabral, novo presidente da legenda

Da Editoria de Política
Da Editoria de Política
Publicado em 19/03/2013 às 6:20
Igo Bione/JC Image
Deputado deixa a sigla após ter sido destituído da presidência do PSC-PE. Ele diz que o diretório "foi vendido" ao ex-prefeito Lula Cabral, novo presidente da legenda - FOTO: Igo Bione/JC Image
Leitura:

O deputado federal Carlos Eduardo Cadoca anunciou, nesta segunda (18) à noite, por meio de nota à imprensa, sua saída do PSC após ter sido destituído da presidência estadual da legenda. Na mesma nota, ele denuncia que o diretório estadual “foi vendido” pelo presidente nacional do PSC, pastor Everaldo Pereira (RJ), ao ex-prefeito do Cabo de Santo Agostinho Lula Cabral, que passou a ocupar a presidência estadual no lugar do Cadoca desde a sexta-feira.

O deputado informou, via assessoria, que não comentaria os detalhes da suposta venda. “O partido foi alvo de uma negociata que, até onde tenho conhecimento, envolve cifras milionárias”, declarou ele, na nota. “A venda do PSC-PE é um escândalo que vem se somar ao enorme desgaste que o partido está sofrendo nacionalmente ao indicar para à Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara o pastor Marcos Feliciano”, complementou ele.

O pastor Everaldo Pereira não atendeu aos chamados da reportagem ao seu celular. Já o ex-prefeito Lula Cabral evitou comentar a denúncia. “Quem deve falar é o presidente nacional do partido”, disse. Cabral classificou como “ingratidão” o tratamento dispensado pelo deputado ao partido e atribuiu as acusações à reação dele por ter perdido a presidência.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias