JC/IPMN

Especialista diz que prefeito Geraldo Julio ainda não consolidou marca própria

Quase 50% das pessoas não responderam quando questionados sobre o que mais chamou a atenção até agora

Débora Duque
Débora Duque
Publicado em 10/04/2013 às 0:01
Leitura:

 

Embora tenha uma gestão aprovada por 57% da população, outros dados da pesquisa IPMN/JC servem de alerta ao prefeito Geraldo Julio (PSB) no seu centésimo dia de governo. Segundo o cientista político Adriano Oliveira, o resultado indica que a gestão do socialista ainda carece de uma marca própria. Questionados sobre o ponto que mais lhes chamou a atenção entre as ações da Prefeitura, 19,3% dos entrevistados, de forma espontânea, disseram “nada” e outros 29% não souberam responder ou preferiram não opinar.

A constatação é reforçada pela reação dos participantes da sondagem à pergunta sobre a notícia relativa à nova administração, veiculada na imprensa, que também mais lhes chamou a atenção. Um percentual de 56,4% não soube ou não quis responder e 10,9% afirmaram “nenhuma”. Em seguida, os investimentos em ciclofaixas ou ciclovias foram mencionados por 8,3%. “A pesquisa revela que ainda falta uma marca à gestão, no sentindo de conteúdo. Mostra que as primeiras ações ainda não tiveram o impacto esperado na população. Isso precisa ser transmitido na estratégia de comunicação do prefeito”, afirmou.

Na avaliação do cientista político, o foco de Geraldo, neste início de governo, foi comunicar-se com as classes média e alta. “As ações precisam ser universalizadas e a estratégia de comunicação tem que ser comum para atingir os segmentos mais abastados e menos abastados. Ele precisa trazer ‘povo’ e fazer com que a gestão ganhe um conteúdo social”, analisa. 

Para o economista e membro do conselho científico do IPMN, Maurício Romão, o problema é que o novo gestor ainda não teve tempo para imprimir uma marca. “Isso é uma questão de prazo, tempo de gestão. Em três meses é difícil imprimir uma marca de tal forma que ela se configure uma bandeira da administração. Aos poucos, essa marca vai aparecer”, opina. Ao mesmo tempo, segundo Romão, a população espera que o prefeito mostre de modo mais “contundente” seu “diferencial” em relação ao antecessor, João da Costa (PT).

A pesquisa mostra que a campanha “Eu amo Recife”, lançada pela Prefeitura com o objetivo de “elevar” a auto-estima da cidade, chegou ao conhecimento de 47% dos entrevistados. Deste grupo, 89% aprovaram a iniciativa.

 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias