Caruaru

Oposição defende comissão para investigar gestão José Queiroz

Vereador Evandro Silva (PMDB) propõe colegiado após série do JC sobre relatório da CGU

Pedro Romero
Pedro Romero
Publicado em 15/08/2013 às 0:12
JC Imagem
Vereador Evandro Silva (PMDB) propõe colegiado após série do JC sobre relatório da CGU - FOTO: JC Imagem
Leitura:

Vereadores da oposição estão tentando criar uma Comissão Temporária de Inquérito para investigar denúncias de mau uso de verbas públicas pela Prefeitura de Caruaru, Agreste pernambucano. As possíveis irregularidades fazem parte de um relatório da Controladoria-Geral de União (CGU) e foram mostradas em uma série de reportagens publicadas pelo Jornal do Commercio. O tema fez parte das discussões na sessão da Câmara de Vereadores realizada na noite da terça-feira (13).

Quem está tomando a iniciativa é o vereador Evandro Silva (PMDB), que já elaborou requerimento solicitando a criação de uma comissão de investigação. “A denúncia foi feita por um órgão importante, que é a Controladoria-Geral da União. O órgão denunciou prejuízos de R$ 17,5 milhões para os cofres do município e investigar é uma das prerrogativas da Câmara. Então, estamos propondo, de acordo com o regimento, uma Comissão Temporária de Inquérito para analisar o caso”, defendeu o vereador.

Evandro Silva acrescentou que já conta com cinco assinaturas de apoio ao requerimento, mas que são necessárias pelo menos oito para que o documento seja aprovado. “Alguns vereadores ainda estão pensando, mas estamos fazendo nosso papel. A sociedade vai nos cobrar”, pontuou.

Um dos vereadores que assinaram o requerimento foi Joseval Bezerra (DEM), conhecido como Val. “As denúncias são graves e acho que os vereadores têm que cumprir com a sua obrigação, que é fiscalizar. Existem algumas licitações superfaturadas que não têm explicação”, disse.

Para o líder do governo da Câmara, Demóstenes Veras (PSD), entretanto, não existe motivo para criar a comissão de investigação. “O governo tem tranquilidade absoluta em relação a esses processos. É uma coisa de 2001 que já foi respondida à própria Controladoria e não há nenhuma punição à prefeitura. Uma comissão só iria politizar e partidarizar essa discussão”, enfatizou.

O relatório da Controladoria-Geral da União aponta superfaturamento na compra de itens da merenda escolar, desvio de finalidade no empenho de verbas públicas e licitação dirigida na Prefeitura de Caruaru. O maior prejuízo está nos contratos firmados com o Ministério da Educação. O requerimento do vereador Evandro Silva deve ser colocado em votação na sessão desta quinta-feira (15).

Últimas notícias