Rumo a 2014

PMDB faz defesa da reeleição de Jarbas

Durante encontro regional, peemedebistas pernambucanos lançam a candidatura do senador à reeleição. Jarbas afirma que vai lutar para ficar onde está

Ayrton Maciel
Ayrton Maciel
Publicado em 02/12/2013 às 6:07
JC Imagem
Durante encontro regional, peemedebistas pernambucanos lançam a candidatura do senador à reeleição. Jarbas afirma que vai lutar para ficar onde está - FOTO: JC Imagem
Leitura:

De uma posição de “coadjuvante” compromissado com o projeto nacional do PSB para 2014, o PMDB de Pernambuco deixou, ontem, a passividade para lançar publicamente a candidatura à reeleição do senador Jarbas Vasconcelos, na chapa do candidato à sucessão que for lançado pelo governador e pré-candidato a presidente da República, Eduardo Campos (PSB).

De espectador à parte do elenco de protagonistas, a saída se deu com a defesa em série da reeleição do ex-governador peemedebista, ontem, em Vitória de Santo Antão, no encontro regional do partido.

Autorizados pelo comando estadual do PMDB, os deputados novatos na legenda Tony Gel (ex-DEM) e Ricardo Costa (ex-PTC) – filiados em outubro – puxaram a série conclamações a Jarbas para renovar o mandato, ressaltando o seu passado de resistência à ditadura de 64 e a sua dimensão nacional como político. A resposta de Jarbas foi cautelosa, mas uma clara aceitação à convocação: “Vou lutar para me manter onde estou”, revelou.

Parlamentares, dirigentes e militantes do PMDB de Pernambuco utilizaram o espaço da última reunião regional da legenda em 2013 para colocar, publicamente, a defesa da reeleição que já era externada nos bastidores do partido e da relação com os socialistas e aliados.

A renovação foi corroborada em pronunciamentos do presidente estadual do PMDB, Dorany Sampaio, da vice-presidente Jacilda Urquisa, dos deputados Raul Henry (federal) e Gustavo Negromonte (estadual), prefeitos, vices e vereadores.

De acordo com uma entrevista enviada por sua assessoria, ele reconheceu que a condução do processo de definição da chapa governista está com o governador Eduardo Campos. “Eu coloco o meu nome. Tenho a minha atuação no Senado ressaltada como positiva por muitos. Mas ainda não é o momento de discutir a questão, o que deve ocorrer no começo de 2014 ou até março. Eu vou lutar para permanecer onde estou”, declarou.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias