Visita presidencial

Dilma, Eduardo e os gestos em Suape

Em primeira passagem por Pernambuco após rompimento com o PSB, presidente anuncia obras de olho na campanha de 2014

Bruna Serra
Bruna Serra
Publicado em 17/12/2013 às 6:19
JC Imagem
Em primeira passagem por Pernambuco após rompimento com o PSB, presidente anuncia obras de olho na campanha de 2014 - FOTO: JC Imagem
Leitura:

A visita que a presidente Dilma Rousseff (PT) faz hoje a Pernambuco – a primeira depois que o governador Eduardo Campos (PSB) deixou a base no governo federal e acelerou suas pretensões eleitorais – será pautada por gestos. Olhares, cumprimentos e todo o clima entre os aliados darão o tom do que deve ser a campanha de 2014.
Dilma Rousseff cumprirá duas agendas administrativas em Ipojuca, nesta terça-feira, sem pausa para conversa política com o aliado de outrora.

Dilma Rousseff desembarca em Pernambuco às 9h, na base aérea, no Recife. Seu primeiro compromisso será acompanhado pela presidente da Petrobras, Graça Foster. Protagonizam a cerimônia de conclusão das obras de uma plataforma de petróleo no Estaleiro Atlântico Sul. Antes, as duas visitarão as obras da Refinaria Abreu e Lima. Devem acompanhar a petista a ministra do Planejamento, Miriam Belchior, e o ministro das Cidades, Aguinaldo Ribeiro.

Aliados afirmam que a presidente Dilma Rousseff não pretende passar recibo ao virtual adversário.
“Quem não gosta de agenda positiva? Dilma vem para anunciar várias obras de mobilidade”, afirmou o senador Humberto Costa (PT), que participará dos eventos de hoje. Todas as obras anunciadas são parte de um amplo plano de investimentos do governo federal na mobilidade urbana, estopim das manifestações de junho.

A “menina dos olhos” é o projeto do Arco Metropolitano, que foi projetado pelo governo do Estado e abraçado pelo governo federal em março deste ano, quando Dilma Rousseff esteve em Serra Talhada.

O investimento inicial será de R$ 1,2 bilhão. O edital de licitação da obra será lançado hoje.
A expectativa é que a presidente anuncie ainda o investimento na implantação de um novo modal de transporte público, o Veículo Leve sob Trilhos (VLT).

A prefeitura apresentou em julho deste ano um pacote de intervenções para atender duas linhas: uma no Centro, com extensão de 8,6 quilômetros saindo do bairro da Boa Vista e chegando ao Cais José Estelita, quando se ligará ao ramal sul: saindo do aeroporto, cortando a rua Barão de Souza Leão seguindo pela Conselheiro Aguiar e chegando nas ramificações do Cais José Estelita e Marco Zero, somando 9 quilômetros de obra.

O valor orçado para a construção do VLT é de R$ 2,1 bilhões. Também se falou da possibilidade de um VLT para desafogar o trânsito na Avenida Norte.

Por fim, a presidente deve também entrar na briga pela paternidade das obras de navegabilidade do Rio Capibaribe, atualmente tocadas pelo governo de Pernambuco.

Existe a possibilidade dela anunciar a ampliação no número de estações de embarque/desembarque ao longo do rio.

Últimas notícias