agreste

Vereadores soltos vão tentar reaver mandatos em Caruaru

Oito dos dez políticos acusados de extorsão conseguiram hebeas corpus no TJPE

Do JC Online
Do JC Online
Publicado em 25/12/2013 às 19:01
Foto: reprodução/TV Jornal
Oito dos dez políticos acusados de extorsão conseguiram hebeas corpus no TJPE - FOTO: Foto: reprodução/TV Jornal
Leitura:

Presos durante a Operação Ponto Final da Polícia Civil sob a acusação de cobrar propina e vantagens para aprovar projetos na Câmara Municipal de Caruaru, seis dos dez vereadores liberados terça (24), após o Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) conceder habeas corpus, vão recorrer na Justiça para reaver os mandatos, assumidos pelos suplentes, na semana passada, e derrubar a decisão de afastamento emitida pelas Varas cível e criminal. Assim que o Judiciário voltar do recesso, no dia 2 de janeiro, informou o advogado de defesa dos seis legisladores, Maviael Peixoto, os procedimentos serão tomados.

Além da decisão da Vara criminal de determinar o afastamento dos dez vereadores envolvidos no processo, fazendo com que os suplentes assumissem os mandatos, o juiz da Vara da Fazenda Pública de Caruaru, José Fernando de Souza, acatou ação do Ministério Público de Pernambuco (MPPE) pedindo a suspensão por 180 dias das atividades parlamentares dos mesmos vereadores.

Na tarde da segunda-feira (23), o desembargador Gustavo Lima, concedeu habeas corpus para oito dos dez vereadores de Caruaru. Receberam autorização sair da cadeia os vereadores governistas Sivaldo Oliveira (PP), Cecílio Pedro (PTB), Val das Rendeiras (PROS) e cinco da oposição – Val (DEM), Louro do Juá (SDD), Jajá (PPS), Neto (PMN) e Evandro Silva (PMDB). A defesa de Eduardo Cantarelli (SDD) e Pastor Jadiel (PROS) tenta estender o benefício de relaxamento da prisão para seus clientes.

Últimas notícias