PONTO FINAL

Câmara sempre no foco da investigação policial

Operações expõem esquema de corrupção envolvendo integrantes do Poder Legislativo. Polícia Civil deve analisar projeto que previa licitação para transporte

Pedro Romero
Pedro Romero
Publicado em 31/01/2014 às 6:23
Leitura:

CARUARU – Desde o dia 18 de dezembro, quando foi desencadeada a operação Ponto Final e dez vereadores foram presos acusados de cobrar propina para aprovar projetos da prefeitura, os moradores desta cidade estão acompanhando cenas incomuns no Legislativo. Na última quarta-feira (29), por exemplo, o vereador Val (DEM), se embrenhou em um matagal para não ser preso. Na fuga, abandonou o carro que, segundo a polícia, foi depredado pela população. 

A novela não deve terminar tão cedo e as próximas investigações devem abordar um projeto de lei que previa licitação para a prestação de serviços de transporte no município. Na época, houve denúncias de que empresários do setor “chegaram junto” para que o projeto fosse rejeitado.

A informação de que empresários interessados na rejeição do projeto distribuíram dinheiro foi constante nos corredores da Câmara de Caruaru, inclusive com informações de que alguns estavam atuando no local no dia da votação. 

Um dos que denunciaram o suposto esquema foi o presidente do Sindicato dos Empregados no Comércio de Caruaru (Sindecc), Milton Manoel, também membro do Conselho Municipal de trânsito e Transportes (Comut).

“Nós denunciamos a votação do projeto e agora as coisas estão aparecendo. Numa das novas gravações, por exemplo, o vereador Sivaldo diz que os outros não se preocupem, pois o dinheiro vem de empresários”, argumentou Milton Mota. Ele acrescenta que o delegado Erick Lessa, responsável pelas investigações, informou que empresários também serão ouvidos.

“Ano passado, um empresário do setor de transportes ofereceu um carro para o sindicato para que eu votasse, como membro do Comut, pelo aumento das passagens. Na época denunciei e abandonei o conselho”, destacou o presidente do sindicato. O projeto para abertura de licitação para o transporte público em Caruaru já foi reprovado duas vezes.

Últimas notícias