Eleições

Petistas divididos sobre a candidatura de Rands

Nos bastidores, parte dos petistas estão apreensivos, outros festejam a possibilidade de revide por ele ter deixado a legenda

Bruna Serra
Bruna Serra
Publicado em 08/02/2014 às 5:25
Leitura:

Mesmo que a escolha de Maurício Rands ainda figure na casa das possibilidades, o Partido dos Trabalhadores em Pernambuco já começa a reagir. Nos bastidores, parte dos petistas estão apreensivos, outros ávidos com a confirmação.

Lideranças ligadas à ala sindical da legenda temem que a parcela dos sindicatos que rejeita o apoio à candidatura do senador Armando Monteiro Neto abrace a candidatura do ex-correligionário. Maurício Rands se elegeu deputado federal por duas vezes com mais de 100 mil votos, maioria expressiva deles vindos do movimento sindical. Sua relação com a categoria começou porque, formado em Direito pela Universidade Federal de Pernambuco, advogou nas causas trabalhistas.

Outra parte do PT enxerga na eventual candidatura de Rands a possibilidade de um revide. Recriminam a forma como ele deixou o partido e mandato. O ex-parlamentar também já não tinha uma boa relação com a Executiva nacional quando deixou o partido. Tentarão colocar nele a pecha de traidor da causa. Um clássico entre os petistas.

Muitos já lembram o livro escrito por Rands em 2010: A Era Lula, no qual ele defende que a eleição de 2002 – que levou o primeiro operário ao Palácio do Planalto – foi o renascer na construção de um país desenvolvido.

Desde o início do meu primeiro mandato de deputado federal, em 2003, tive a consciência de estar participando de um daqueles momentos especiais que a história posteriormente haverá de registrar em todo o seu alcance”, afirma o ex-deputado, no do livro. Os petistas afirmam ser possível identificar contradições entre os discursos de Rands hoje e ontem.

Últimas notícias