Poder Executivo

Oposição pede informações ao governo sobre pagamentos à Arena Pernambuco

Paulo Câmara remaneja R$ 93,8 milhões no orçamento para indenizar a construção e custear a manutenção

Ayrton Maciel
Ayrton Maciel
Publicado em 12/02/2015 às 19:06
Leitura:

O líder da oposição ao governo Paulo Câmara, na Assembleia Legislativa (Alepe), deputado Sílvio Costa Filho (PTB) anunciou, nesta quinta-feira (12), que vai encaminhar ao Executivo um pedido de informações sobre o custo total da Arena Pernambuco - palco da Copa do Mundo de 2014 - ao final dos contratos de construção e manutenção da obras, previsto para 2043. É o primeiro pedido de informação do Legislativo ao governo Paulo Câmara. Por dever constitucional, o governador é obrigado a prestar todas as informações que são solicitas pelo Legislativo, que é um poder fiscalizador. 

Na Alepe, chegou o projeto de lei do governo que altera o orçamento de 2015, anulando verbas de secretarias e remanejando para outras e para órgãos estaduais. Dos R$ 202 milhões remanejados, R$ 93,9 milhões são parte para pagamento indenizatório ainda da Arena e parte pela manutenção do equipamento em 2014 e 2015. No ano passado, o governo pagou R$ 87 milhões pelas duas obrigações contratuais.

Os contratos foram assinados em 2010 e a obra concluída e entregue em abril de 2013, sendo uma das sedes da Copa das Confederações. A opisção na Alepe quer saber "os dados sobre os custos da manutenção mensal e quais são as fontes de financiamento". O líder da bancada Silvio Costa Filho - que na época dos contratos era da base do governo e votou favorável - diz que a oposição quer saber os custos da Arena Pernambuco para o Estado e o detalhamento e a razão porque reservou R$ 93,8 milhões do Orçamento Fiscal de 2015 para pagar parcelas indenizatórias restantes da construção da Arena e a parte referente a seus custos de manutenção em 2014/2015.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias