Parceria partidária

Paulo defende aliança com o PSDB no Estado: "Estou satisfeito"

Declaração ocorre em momento de afastamento das siglas nacionalmente

Franco Benites
Franco Benites
Publicado em 12/02/2015 às 6:50
Divulgação/Governo do Estado
Declaração ocorre em momento de afastamento das siglas nacionalmente - FOTO: Divulgação/Governo do Estado
Leitura:

Paulo Câmara (PSB)  governa Pernambuco sem perder as eleições municipais de 2016 de vista. Questionado sobre o fim do bloco formado pelos socialistas e pelo PSDB na Câmara Federal, o governador classificou a situação como natural e tratou de elogiar a parceria com os tucanos no Estado. A proximidade local entre os dois partidos, além de evitar problemas para a gestão estadual, facilita a vida do prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB). Isso porque o chefe do Executivo municipal pode se beneficiar da sintonia partidária e ter um concorrente a menos em 2016 - o deputado federal Daniel Coelho.

“O PSDB me apoiou na eleição e estamos satisfeitos com o trabalho que vem sendo desenvolvido pelo secretário Evandro Avelar (Micro e Pequena Empresa, Qualificação e Trabalho). Estou satisfeito com a aliança”, falou. Em Pernambuco, além de Avelar, o PSDB tem Pedro Eurico como secretário estadual (Justiça e Direitos Humanos) e indicou os presidentes do Porto do Recife e da Junta Comercial de Pernambuco.

As referências ao PSDB são as melhores possíveis no plano estadual, mas nacionalmente os socialistas dão indícios de  que a parceria iniciada no segundo turno da eleição presidencial de 2014 está perto do fim.  “A questão do PSB foi pontual para a eleição da Mesa Diretora da Câmara (os tucanos apoiaram a candidatura do socialista Julio Delgado). O bloco que está sendo negociado desde o ano passado no PSB é com o PV, o PPS e o SDD. Não existia acordo pós-eleição com o PSDB”, disse Paulo.

O governador mostrou  não estar preocupado com que aliados mais próximos ao PSDB, como Jarbas Vasconcelos (PMDB), acham dos movimentos de aproximação com o PT. O peemedebista considerou “desnecessário” o encontro de Paulo com o ex-presidente  Lula  (PT) na semana passada. Ontem, Paulo disse que deverá ter um novo encontro com o petista em março, dessa vez no Estado. “Fui conversar com Lula e pretendo conversar outras vezes. É um pernambucano que ajudou muito o Brasil e Pernambuco”, declarou.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias