Crise econômica e Pernambuco

Sindicatos patronais e de trabalhadores em Pernambuco pedem saída de Dilma

Apenas deputados do PSB participam de audiência na Alepe. Obras paradas do PAC e repercussões sobre índice de desemprego foram foco do debate

Ayrton Maciel
Ayrton Maciel
Publicado em 10/09/2015 às 16:12
Jarbas Araújo/Alepe
Apenas deputados do PSB participam de audiência na Alepe. Obras paradas do PAC e repercussões sobre índice de desemprego foram foco do debate - FOTO: Jarbas Araújo/Alepe
Leitura:

Em auditório esvaziado, a Comissão de Desenvolvimento Econômico e Turismo da Assembleia Legislativa realizou, nesta quinta-feira (10), audiência pública para discutir o estágio e as consequências das obras federais do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) em Pernambuco paradas ou atrasadas sobre os índices de desemprego, renda e desenvolvimento no Estado. Sem apresentarem números, porém, sindicatos patronais e de trabalhadores ocuparam a tribuna para dar o tom político de oposição ao governo do PT e pedir a renúncia ou impeachment da presidente Dilma.

Sem a presença da Central Única dos Trabalhadores (CUT), do PT, PTB  nem de qualquer partido da base nacional do governo, apenas os deputados Aluísio Lessa (PSB), presidente da Comissão, e Lucas Ramos (PSB), vice-líder do governo Paulo Câmara (PSB) na Alepe, participaram da audiência. De forma uníssona, as entidades sindicais responsabilizaram o governo federal pela crise econômica e as repercussões no Estado e defenderam a saída de Dilma. Para compor o relatório do encontro, centrais e sindicatos se comprometeram a encaminhar dados sobre demissões e desempregos em seus segmentos.

 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias