História das eleições no Recife

Eduardo aproveita crise no PT e lança Geraldo Julio à prefeitura do Recife

Principal liderança do PSB, Eduardo Campos rompeu aliança com o PT e viabilizou candidatura do seu partido

Franco Benites
Franco Benites
Publicado em 21/08/2016 às 7:10
JC Imagem
FOTO: JC Imagem
Leitura:

Governador do Estado em 2008 e principal liderança do PSB, Eduardo Campos ajudou o PT nas eleições municipais daquele ano e indicou o hoje secretário estadual Milton Coelho para posto de vice de João da Costa. Quatro anos depois, petistas e socialistas já não falavam a mesma língua e se enfrentaram nas urnas em uma disputa eleitoral que culminou no fim de um ciclo de 12 anos do PT à frente da capital e abriu um fosso imenso entre os dois partidos no Recife.

As articulações para a candidatura do PSB foram feitas diretamente por Eduardo. Em 12 de junho de 2012, ele comunicou oficialmente o fim da aliança em uma coletiva no Palácio do Campo das Princesas. A alegação era de que as brigas internas do PT haviam fragmentado a Frente Popular e que era preciso agir para evitar que o “campo das esquerdas” perdesse as eleições.

LEIA MAIS:

'Foi Geraldo que fez': mote pega e afilhado de Eduardo é eleito prefeito

Geraldo tenta a reeleição sem Eduardo e em meio a crise econômica

Prefeitos do Recife eleitos com a força dos padrinhos

Briga entre Joões derrubou o PT no Estado

Turbulência política do PT refletiu na gestão de João da Costa

Humberto Costa avalia erros na campanha de 2012

Como primeiro passo para a candidatura própria do PSB, Eduardo exonerou quatro secretários estaduais filiados ao partido: Danilo Cabral (Educação), Geraldo Julio (Desenvolvimento Econômico), Sileno Guedes (Articulação) e Tadeu Alencar (Casa Civil).

Funcionário concursado do Tribunal de Contas do Estado (TCE-PE), Geraldo foi apresentado como a aposta do PSB no dia 20 de junho em uma carta pública endereçada a todos os partidos da ampla coligação encabeçada pelos socialistas e que tinha a participação do PT. Ele foi apontado por Eduardo como um técnico eficiente, que poderia fazer a diferença na prefeitura do Recife.

“Naquele momento, o Recife pedia um perfil que pudesse fazer uma mudança que a cidade precisava, que ia exigir um novo caminho e novas realizações. O conjunto da Frente Popular entendeu que minha história, formação e experiência se encaixavam melhor naquele momento. Todos os companheiros que foram colocados (como possíveis candidatos) têm muita habilidade, talento e história, mas o meu nome foi o que mais se adequou ao momento”, diz Geraldo Julio, hoje candidato à reeleição.

Antes de Eduardo referendar o nome de Geraldo, que havia sido secretário estadual de Planejamento no início do seu governo, o ex-presidente Lula (PT) tentou convencer o governador a manter a aliança com os petistas. A negativa dada a Lula e o projeto eleitoral do PSB no Recife foram vistos pelos petistas, tempos depois, como uma atitude calculada por Eduardo para pavimentar uma futura candidatura à presidência da República contra o PT.

“O conflito do PT abriu uma janela para o PSB dar continuidade à narrativa da ‘nova política’ ao apresentar um candidato como algo novo. Provavelmente, esse cenário, naquele momento, não estava associado a um plano futuro de Eduardo vir a disputar a presidência da República. Muito provavelmente, o foco estava no plano estadual e na disputa de espaço com o PT”, analisa o cientista político Juliano Domingues, da Universidade Católica de Pernambuco (Unicap).

Para o cientista político Túlio Velho Barreto, da Fundação Joaquim Nabuco, Eduardo soube jogar com o desentendimento interno dos petistas. “A briga do PT contribuiu decisivamente a criar todos os problemas. Não que Eduardo Campos não viesse com nenhum candidato disputar a eleição. Qualquer motivação Eduardo encontraria para ter um candidato naquele momento, porque fazia parte do projeto político dele. Ele recuperou a hegemonia no PSB no Estado”, avalia.

JC Imagem
Campanha de Geraldo Julio a prefeito do Recife em 2012 - JC Imagem
JC Imagem
Campanha de Geraldo Julio a prefeito do Recife em 2012 - JC Imagem
JC Imagem
Campanha de Geraldo Julio a prefeito do Recife em 2012 - JC Imagem
JC Imagem
Campanha de Geraldo Julio a prefeito do Recife em 2012 - JC Imagem
JC Imagem
Campanha de Geraldo Julio a prefeito do Recife em 2012 - JC Imagem
JC Imagem
Campanha de Geraldo Julio a prefeito do Recife em 2012 - JC Imagem
JC Imagem
Campanha de Geraldo Julio a prefeito do Recife em 2012 - JC Imagem
JC Imagem
Campanha de Geraldo Julio a prefeito do Recife em 2012 - JC Imagem
JC Imagem
Campanha de Geraldo Julio a prefeito do Recife em 2012 - JC Imagem
JC Imagem
Campanha de Geraldo Julio a prefeito do Recife em 2012 - JC Imagem
JC Imagem
Campanha de Geraldo Julio a prefeito do Recife em 2012 - JC Imagem
JC Imagem
Campanha de Geraldo Julio a prefeito do Recife em 2012 - JC Imagem

 

Últimas notícias