Apoio

Júnior Matuto terá segundo mandato sem oposição na Câmara de Paulista

Pelo segundo mandato consecutivo, o prefeito reeleito de Paulista irá administrar o município sem oposição na Câmara dos Vereadores dessa vez, com 15 parlamentares eleitos da mesma coligação

Aline Araújo
Aline Araújo
Publicado em 13/10/2016 às 18:30
Foto: Sérgio Bernardo / JC Imagem
Pelo segundo mandato consecutivo, o prefeito reeleito de Paulista irá administrar o município sem oposição na Câmara dos Vereadores dessa vez, com 15 parlamentares eleitos da mesma coligação - FOTO: Foto: Sérgio Bernardo / JC Imagem
Leitura:

Pelo segundo mandato consecutivo, o prefeito reeleito de Paulista Júnior Matuto (PSB) irá administrar o município sem oposição na Câmara dos Vereadores do município. Isso porque os 15 vereadores eleitos são da mesma coligação do prefeito (PSB / PC do B / PMDB / PSDB / DEM / PV / PSL / PSDC / PR / PPS / PEN / PTC / PSD / SD / PMB / PROS / PRTB / PRP / PRB). Ou seja, nos próximos quatro anos a Câmara dos Vereadores de Paulista não fará oposição à governabilidade de Júnior Matuto. Nas eleições de 2012, Matuto contava com três parlamentares opositores, mas esses mudaram de partido, passando a contabilizar a favor do prefeito.

O vereador é a representação mais próxima dos eleitores, entre suas funções está a elaboração, discussão e votação de projetos de lei que atendam a demanda social, os interesses da coletividade e dos grupos. Entre outras funções, os vereadores também são responsáveis pela fiscalização das ações tomadas pelo prefeito, sendo responsáveis por acompanhar a administração municipal, principalmente no tocante ao cumprimento da lei e da boa aplicação e gestão do dinheiro público. Nesse contesto, Matuto não irá enfrentar nenhum tipo de oposição para aprovar com facilidade projetos de sua autoria.

De acordo com o cientista político Elton Gomes, professor da Faculdade Damas, maiorias nominais não garantem maiorias reais: “isso que dizer que mesmo que ele possua maioria nominal não garante que ele vale ter amplo apoio parlamentar. Não significa apoio em uníssono”. Para Elton é obvio que Júnior Matuto irá gozar de uma situação privilegiada, porque já é fácil lidar com vereadores, porém nada é gratuito e ele terá que atender as demandas desses parlamentares, mesmo quando existe o apoio na grande maioria. “Ele precisa fazer uma agenda de concertação política que tenha como objetivo apoiar esses parlamentares. No caso do município é relativamente fácil, já que vereadores têm demandas mais fáceis de ser concluídas”, disse.

 

Oposição

Para a candidata a vereadora não eleita, a porta voz da Rede Sustentabilidade em Paulista Verônica Freitas, professora da rede pública de ensino do município, a situação é preocupante. "Ao longo de 3 anos e meio de gestão com um simples olhar, percebemos como o município está abandonado. Se considerarmos que não houve avanços na educação, na saúde, na assistência social, mínimos que sejam ao longo destes anos, o que poderemos esperar dos anos que virão? O que dizer de mais 4 anos onde o prefeito não terá oposição passível de cobrar um olhar acentuado para algumas questões essenciais? É uma gestão que apenas executa, desconsiderando impactos desfavoráveis à vida dos munícipes. Um bom exemplo é a quantidade de obras paradas, da falta de atendimento nos postos de saúde, das péssimas condições das escolas municipais. Isso quando falamos em estrutura física e quando falamos do cognitivo da aprendizagem dos estudantes? é um gestão sem perspectiva de avanços reais ? frente de um dos maiores municípios do Estado", criticou.

Diferente de outros municípios da Região Metropolitana do Recife, a Rede Sustentabilidade em Paulista preferiu se manter na oposição e não apoiar o candidato do PSB.

O prefeito Junior Matuto (PSB) está viajando e não foi localizado para comentar o assunto.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias