alepe

Romário Dias já articula candidatura à presidência da Alepe

Romário Dias espera conseguir entendimento com Guilherme Uchoa, que está concluindo o quinto mandato

Paulo Veras
Paulo Veras
Publicado em 27/10/2016 às 7:30
Foto: Rinaldo Marques/JC Imagem
Romário Dias espera conseguir entendimento com Guilherme Uchoa, que está concluindo o quinto mandato - FOTO: Foto: Rinaldo Marques/JC Imagem
Leitura:

Mesmo faltando três meses da eleição que definirá a nova Mesa Diretora, o deputado estadual Romário Dias (PSD) já está em plena articulação para tentar voltar ao comando da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe). Romário, que já comandou o Legislativo estadual por três vezes, já comunicou ao governador Paulo Câmara (PSB) da disposição de tentar a presidência e tenta agora um entendimento com o atual chefe da Casa, o deputado estadual Guilherme Uchoa (PDT).

“Conversei com Paulo há dois meses. E também com Guilherme Uchoa e com outros deputados. Não tem nada certo. É preciso que Guilherme tome uma decisão do que ele quer fazer”, adiantou Romário. De licença em caráter cultural na Itália, Romário disse que tentará se reunir com Uchoa na volta, na próxima semana, já passado o segundo turno das eleições, para tentar obter uma definição dele. Do governador, ele não ouviu vetos, mas o socialista indicou que o tema só voltaria a pauta após o período eleitoral.

Um dos políticos mais influentes de Pernambuco, Guilherme Uchoa foi reeleito para o quinto mandato em fevereiro do ano passado e terminará 2016 completando dez anos à frente da Alepe. O pedetista, porém, enfrentou resistências para se manter no posto da numerosa bancada do PSB e questionamentos jurídicos por parte da OAB-PE, que considera a reeleição inconstitucional.

O QUE DIZ UCHOA?

“Não é uma questão de interesse. Você deve ouvir os deputados. Não passa pela minha vontade pessoal. Não passa pelo meu querer. Tem duas coisas que faz com que as pessoas ocupem algum cargo. Uma é a vontade de Deus. E a segunda é a vontade da maioria”, afirmou ontem Uchoa, evitando cravar se há disposição para tentar um novo mandato. O pedetista também disse ainda não ter conversado com nenhum deputado sobre o comando da Casa. “Eu ainda estou preocupado com o segundo turno e com os candidatos que o governador do Estado apoia. E eu não tive tempo ainda para tratar desse assunto”, explicou.

Romário comandou a Alepe por seis anos. Quando passou o comando da Casa para Uchoa, antes de assumir o posto de conselheiro do Tribunal de Contas, ele convocou o pedetista para um almoço que selou a transição. Romário integra o PSD, partido que ganhou força no governo Paulo Câmara, e tem trânsito com a oposição, já que foi eleito pelo PTB.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias