Avaliação política

Jarbas Vasconcelos: 'Lula vai ser preso mais cedo ou mais tarde'

Deputado peemedebista diz que ex-presidente petista tem problemas com a Justiça

Franco Benites
Franco Benites
Publicado em 05/01/2017 às 12:16
Diego Nigro/JC Imagem
Deputado peemedebista diz que ex-presidente petista tem problemas com a Justiça - FOTO: Diego Nigro/JC Imagem
Leitura:

Em entrevista à Rádio Jornal nesta quinta-feira, o deputado Jarbas Vasconcelos (PMDB) afirmou que o ex-presidente Lula (PT) deverá ser preso. O peemedebista, que já foi até cotado por Lula para ser seu vice-presidente, tornou-se um dos principais críticos da gestão petista, incluindo o governo Dilma Rousseff (PT).

>> Jarbas deixa no ar interesse em disputar novamente o Senado em 2018

"Lula vai terminar sendo preso mais cedo ou mais tarde. O problema de Lula não sou eu que estou querendo ou deixando de querer que ele seja preso, mas Lula tem vários processos. O problema de Lula hoje é com a Justiça. Qualquer pessoa de bom senso sabe que o problema de Luis Inácio Lula da Silva hoje não é nem comigo, nem com o PMDB, nem com o PSDB, com oo PSB, é com a Justiça. Ele tem vários processos, três, quatro processos. Vai terminar essa coisa não dando certo para ele", declarou.

LEIA MAIS:

'Lula é comandante máximo do esquema de corrupção', diz procurador da Lava Jato

Deltan sobre contra-ataque de Lula: 'natural que os poderosos reajam'

Lula diz que, em honestidade, 'só Jesus ganha de mim'

Apesar da declaração, Jarbas ponderou que que houve excesso do Ministério Público Federal em relação a Lula. "Eles pisaram na bola. Quando aquele promotor (Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa da operação Lava Jato) fez a denúncia contra Lula, ele adjetivou, disse que Lula era chefe disso, chefe daquilo, que Lula fez isso ou aquilo. Você não pode fazer isso em uma denúncia. Um promotor não pode fazer isso. Ele teria que fazer uma denúncia pura e simples contra Lula, contra Luis Inácio Lula da Silva e não adjetiva uma denúncia. E houve excesso de exibição", disse. 

LAVA JATO

Jarbas defendeu o prosseguimento da operação Lava Jato e disse acreditar que as investigações vão atingir seu ápice este ano.

>> Ouça a entrevista completa de Jarbas Vasconcelos na Rádio Jornal

"Acho que a gente vai ter um ano muito turbulento com a Lava Jato, um ano muito rico de acontecimentos e que não tenha dúvida vai atrapalhar porque vai se sobrepor a todos os outros temas que deveriam ser debatidos. Mas não é por isso que vai deixar de andar, de ir pra frente. A Lava Jato vai tomar uma dimensão que ela não tomou em 2016 e vai predominar em 2017 a partir de fevereiro e março", afirmou.

Na avaliação de Jarbas, é preciso ter cautela sobre as 10 Medidas contra a Corrupção propostas pelo Ministério Público Federal. "Defendo disciplinar a questão do abuso de autoridade. Não pode aprovar 10 medidas de combate à corrupção sem discutir, sem saber se estão completas ou incompletas, se são convenientes, de ofende à Constituição ou alguma lei", opinou.

GOVERNO TEMER

Para Jarbas, o governo Michel Temer (PMDB) tem correspondido às expectativas depositadas nele.

"Ele não é um medíocre, não é um corrupto, não tem uma história de sacanagem. Não está perfilado em páginas de jornais na área de polícia. Nunca vi o Temer metido nisso. É um homem cordial, culto, que lê muito e que quer acertar. É o grande mérito dele. Quando ele disse que quer ser o melhor presidente da República do Nordeste é porque está com isso na cabeça", avaliou.

De acordo com Jarbas, Temer não será candidato à reeleição.

"Acho que, pelo que li, pelo que conversei com ele em algumas oportunidades, não especificamente esse tema, que Temer não é candidato. Se Temer for candidato, para mim vai ser uma surpresa muito grande, total e completa. Pelo que conheço de Temer, ele não é candidato e vai tentar fazer um mandato nesses dois anos. A travessia dele é longa. Ele tem 17 e 18. Não é uma coisa fácil. Estou muito nessa de procurar ajudar para a gente fazer o melhor para o País", enfatizou.

RODRIGO MAIA

A eleição para a presidência da Câmara Federal também foi pauta da entrevista. Jarbas defendeu a candidatura de Rodrigo Maia (DEM-RJ), que atualmente preside a Casa. O pernambucano é o responsável pelo parecer que respalda a candidatura do democrata para a recondução ao posto de presidente da Câmara e estará no almoço que será oferecido a Maia no Recife nesta sexta-feira.

"Dos candidatos, ele é o melhor. Ele ganhou a eleição e tem uma qualidade como dirigente político e partidário que é porque ele não tem patota. A pior coisa é um presidente como Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e sua patota. Ele ouve as pessoas. Acho que a eleição dele vai ser tranquila. Tem um caminho longo a percorrer. Ele vai estar aqui amanhã (nesta sexta-feira). Eu estimulei ele a andar, não ficar preso em Brasília mesmo tendo uma situação folgada", disse.

>> Para Jarbas, PMDB merece espaço maior na gestão Paulo Câmara

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias