Futuro

Jaboatão estuda diminuir terceirizados efetivando concursados

De acordo com o secretário da Fazenda, César Antônio Barbosa, a ideia é valorizar os efetivos, reduzindo os gastos do município com terceirizados

Aline Araújo
Aline Araújo
Publicado em 17/01/2017 às 15:45
Foto: Aline Araújo/ JC
De acordo com o secretário da Fazenda, César Antônio Barbosa, a ideia é valorizar os efetivos, reduzindo os gastos do município com terceirizados - FOTO: Foto: Aline Araújo/ JC
Leitura:

O município de Jaboatão dos Guararapes estuda efetivar concursados e reduzir o número de terceirizados. É o que informou o secretário da Fazenda, César Antônio Barbosa, em coletiva de imprensa nesta terça-feira (17). De acordo com o secretário, a ideia é valorizar os efetivos, reduzindo os gastos do município com terceirizados.

 “Temos vários terceirizados, mas a ideia é valorizar os efetivos. Quando a gente fala que vai efetivar os terceirizados é uma notícia boa para uns e ruim para outros. Nós temos alguns concursos em andamento. Como é o caso dos professores, que vence agora em agosto e nós temos vários professores contratados. Então, nós vamos analisar a efetivação. Na Secretaria da Fazenda mesmo, aquele balcão de atendimento nosso é contratado, vence em julho o contrato. Então a partir do momento que for vencendo, de acordo com a nossa receita, aí nós vamos analisando, para fazer concurso e começar a efetivar o pessoal”, explicou. 

De acordo com a Lei de Responsabilidade Fiscal, o limite de gasto com pessoal do município não pode extrapolar 95% do limite de 54% da Receita Corrente Líquida (RCL).  “Só temos que ter cuidado com a folha de pagamento para não inserir no índice da irresponsabilidade fiscal”, disse o secretario. 

Rombo

Nesta terça-feira (17), o prefeito de Jaboatão, Anderson Ferreira (PR), divulgou um rombo de mais de R$ 84 milhões nas finanças do município deixado pela gestão anterior. O prefeito de Jaboatão destacou um núcleo composto pela Secretaria da Fazenda, do Planejamento, Controladoria e os representantes das pastas, para analise de cada contrato e negociar melhores condições com os fornecedores. Apesar disso, o município está com os pagamentos de salários em dia. Atualmente, a folha de pagamento de pessoal custa cerca R$32 milhões aos cofres da cidade.


O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias