Governo federal

PSB não se entende sobre apoio ao governo Michel Temer

Senador Fernando Bezerra Coelho diz que partido dará apoio a diretrizes da gestão peemedebista, mas alguns socialistas dizem que alinhamento não é automático

JC Online
JC Online
Publicado em 09/02/2017 às 14:01
Beto Barata/Divulgação
Senador Fernando Bezerra Coelho diz que partido dará apoio a diretrizes da gestão peemedebista, mas alguns socialistas dizem que alinhamento não é automático - FOTO: Beto Barata/Divulgação
Leitura:

Em Brasília nessa quarta-feira para debater o andamento da Transnordestina, Paulo Câmara (PSB) aproveitou para falar com o presidente Michel Temer (PMDB) sobre as ações na área de Segurança Pública. O governador tem reforçado que a ajuda da União é vital para combater a violência.

“Colocamos a preocupação que temos com o País, como o atual momento da Segurança. Hoje, vários Estados enfrentam problemas com as polícias, os presídios, as drogas e o desemprego. Coloquei ao presidente que este é um debate nacional. Precisamos de resultados rápidos. É isto que a população espera de nós”, afirmou o governador.

AUDIÊNCIA

Também estiveram com Temer o presidente do PSB, Carlos Siqueira, o senador Fernando Bezerra (líder do PSB no Senado), a deputada Tereza Cristina (líder do PSB na Câmara Federal) e Rodrigo Rollemberg (PSB), governador do Distrito Federal.

Fernando Bezerra afirmou que  articulou o encontro e que a reunião reforçava o apoio do PSB às diretrizes do governo federal. A mensagem ocorre em um período de críticas de deputados do PSB a medidas do governo Temer. Em reserva, socialistas pernambucanos e de fora do Estado afirmaram que o senador “tenta vender o que não tem” e garantiram que a legenda não está alinhada de forma automática à gestão do peemedebista.

>> "Situação está muito desconfortável", diz governador sobre violência

“O partido teve divergências desde sempre. O pensamento não é monolítico”, minimizou Carlos Siqueira sobre esse fogo amigo. Para ele, a reunião foi positiva. “Mostramos nossa preocupação social. Mas é preciso discutir melhor alguns temas, sobretudo o da Reforma da Previdência”, declarou.

Essa também é opinião a de outros integrantes do PSB. “Não podemos aceitar que sejamos tratorados nessa Casa. Esse debate, pela sua relevância, precisa ser feito amplamente pelo conjunto da sociedade brasileira”, afirmou o deputado federal Danilo Cabral (PSB) em  comunicado enviado à imprensa.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias