Manifestação

Familiares de PMs protestam durante abertura do Carnaval do Recife

Objetivo do grupo é pressionar o Governo de Pernambuco por melhores condições de trabalho para a PM

JC Online
JC Online
Publicado em 24/02/2017 às 23:06
Foto: Carol Santos/Rádio Jornal
Objetivo do grupo é pressionar o Governo de Pernambuco por melhores condições de trabalho para a PM - FOTO: Foto: Carol Santos/Rádio Jornal
Leitura:

Familiares de Policiais e Bombeiros Militares fizeram, nesta sexta-feira (24), um dia de protestos nas ruas do Recife. O objetivo dos manifestantes é pressionar o Governo de Pernambuco por melhores condições de trabalho para as duas categorias.

O protesto teve início na Avenida Beira-Rio, em frente à casa do Governador Paulo Câmara. Ruas como a Joaquim Nabuco e a Ponte do Cabugá ficaram congestionadas. Logo após, o grupo seguiu até o bairro do Derby, passou pela Avenida Conde da Boa Vista e caminhou até a ponte Duarte Coelho, onde está localizado o Galo da Madrugada. No local, os manifestantes afirmaram em um grito de guerra que "não vai haver Galo" neste sábado (25). O protesto se encerrou na frente da Assembleia Legislativa de Pernambuco (ALEPE), onde um novo discurso foi realizado pelo movimento.

A Associação de Cabos e Soldados (ACS), que participou do protesto, alega que o reajuste salarial aprovado por lei na ALEPE não é proporcional. O grupo deseja um reajuste igual ao destinado à Polícia Civil.

Paulo Câmara diz que grupo não representa os Policiais e Bombeiros Militares

Em entrevista durante a abertura oficial do Carnaval do Recife, o governador Paulo Câmara disse que o grupo que protestou durante esta sexta-feira na capital pernambucana não representa a organização como um todo. "Hoje, o que a gente viu foram cenas lamentáveis de pouquíssimas pessoas que não representam esses homens e mulheres que fazem a Polícia Militar e os Bombeiros Militares que estão trabalhando e combatendo com muito profissionalismo e determinação", disse.

Na quinta-feira (23), a Procuradoria Geral do Estado (PGE) ingressou com um pedido no Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) para que o Judiciário conceda uma liminar e, assim, determine que “esposas e parentes de líderes das associações de classe da PM e qualquer outra pessoa se abstenham de obstruir a saída e a movimentação de militares ou viaturas militares das unidades onde servem ou de locais onde se encontrem, sob pena de multa individual diária de R$ 10 mil”.

A solicitação ocorreu após integrantes do governo ficarem sabendo que algumas esposas de militares estariam se articulando para impedir e saída de viaturas dos quartéis no dia do Galo da Madrugada, quando uma multidão invade as ruas centrais do Recife. O pedido foi acolhido pelo desembargador José Fernandes de Lemos e a decisão favorável ao governo foi anunciada na noite de ontem. 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias