CHUVAS EM PERNAMBUCO

Na Alepe, aliados de Paulo criticam ajuda de Temer para enchentes

Temer sinalizou liberação de empréstimo, mas aliados temem que obras sejam prejudicadas

Paulo Veras
Paulo Veras
Publicado em 30/05/2017 às 17:25
Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
Temer sinalizou liberação de empréstimo, mas aliados temem que obras sejam prejudicadas - FOTO: Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
Leitura:

Aliados do governador Paulo Câmara se queixaram da ajuda oferecida pelo presidente Michel Temer (PMDB) para as vítimas das chuvas no interior do Estado durante a sessão desta terça-feira (30). O peemedebista Ricardo Costa, vice-líder do governo, classificou de "tímida" a participação do presidente nas ações de ajuda as vítimas da chuva.

"Essa vinda de Temer para o Nordeste tem uma simbologia. Mas para a nossa surpresa, o coelhinho que ele tirou da cartola não foi muito bom", afirmou Aluísio Lessa (PSB), que visitou cidades afetadas. Para o socialista, o governo federal é devedor das obras das quatro barragens que não ficaram prontos por falta de liberação de recursos da União.

'NÃO É ESMOLA'

Aluísio se queixou da sinalização do Planalto de agilizar um empréstimo de R$ 600 milhões com o BNDES para que o Estado use parte desse dinheiro em obras contra as chuvas. Esse dinheiro, porém, tinha um plano de trabalho e seria destinado para obras hídricas, para os corredores de ônibus da Região Metropolitana, e para o Presídio de Itaquitinga; que podem ficar prejudicados.

"Espero que o governo federal tenha sensibilidade porque o que estamos pedindo é muito pouco. Não é esmola", afirmou Ricardo Costa, do PMDB.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias