CCJ

Na CCJ, Pastor Eurico elogia regime militar

Em discurso para a votação da denúncia contra Temer na CCJ, deputado tece elogios ao período do governo militar.

Editoria de Política
Editoria de Política
Publicado em 13/07/2017 às 19:10
Agência Câmara
Em discurso para a votação da denúncia contra Temer na CCJ, deputado tece elogios ao período do governo militar. - FOTO: Agência Câmara
Leitura:

Na sessão em que discutiu a aceitação da denúncia contra Michel Temer na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça), o Pastou Eurico (PHS-PE), suplente na comissão, enalteceu o regime militar. "O governo Militar foi a solução para o Brasil."

"O Brasil é um país de sonhos, e eu lembro muito bem, não sou idoso e também não sou tão novo mas na minha juventude - e acredito que de tantos outros aqui - ouvimos os clamores, os gritos, as pessoas gritando por liberdade quando falavam de um governo ditatorial, termo que eu não concordo [...] Ai do Brasil se não fosse os militares na época. Nós hoje seríamos uma Cuba piorada e a situação dos brasileiros seria mais caótica !"

O congressista ainda criticou o ex-presidente Lula, lembrando que apesar da boa gestão no primeiro mandato, a corrupção evidenciada no segundo não pode justificar sua conduta e comentou sobre a pressão que sofreu para mudar o voto. "Muitos chegaram perto de mim: Pastou Eurico, como estão suas emendas? - Eu digo: ameaçadas. - Qual o cargo o senhor quer ? Eu respondo: Nenhum! Tenho vários projetos para resolver em Pernambuco, mas não vou negociar minha dignidade!"

Eurico também atacou os artistas que usufruem da Lei Rouanet e relembrou o caso do ator Fábio Assunção. " Os 342 artistas aí - que pra mim é uma aberração porque existem artistas que merecem ser aplaudidos, são pessoas dignas - mas tem um bando de vagabundos, picaretas, ladrões, corruptos que estão citados na Lei Rouanet, ou seja, a "Lei Roubanet", deveria ser o nome."

Contraditando

Para contraditar a fala de Eurico, a deputada Maria do Rosário (PT- RS) solicitou ao presidente da mesa que retirasse a fala do Pastor por conta da declaração feita sobre o ator. "Eu não concordo que alguém seja taxado dessa forma. [...] Queria fazer um alerta aqui: As pessoas que misturam a religião, falam em Deus, atacam uma pessoa - da forma como foi feita aqui- é tremendamente desumano. Gostaria que tirasse (a fala) dos altos."

Veja o vídeo na íntegra

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias