COBRANÇAS

Oposição quer investigar Paulo Câmara por abuso de poder econômico

Deputado Silvio Costa Filho (PRB) vai dar entrada em ações nos Ministérios Público Eleitoral e Estadual para investigar repasses feitos pelo Estado à Prefeitura do Recife

Da Editoria de Política
Da Editoria de Política
Publicado em 09/08/2017 às 15:51
Foto: Paulo Veras/JC
Deputado Silvio Costa Filho (PRB) vai dar entrada em ações nos Ministérios Público Eleitoral e Estadual para investigar repasses feitos pelo Estado à Prefeitura do Recife - FOTO: Foto: Paulo Veras/JC
Leitura:

O líder da oposição na Assembleia Legislativa de Pernambuco, deputado Silvio Costa Filho (PRB), vai dar entrada na próxima sexta-feira (11) em ação contra o governador do Estado, Paulo Câmara (PSB).

O deputado questiona os repasses feitos pelo governo à Prefeitura do Recife, liderada pelo prefeito Geraldo Julio (PSB). Segundo Silvio, a intenção é investigar se houve abuso de poder econômico praticado pelo Estado para beneficiar a gestão do aliado.

Em coletiva, nesta quarta-feira (9), o deputado explicou que o pedido de investigação será protocolado no Ministério Público Estadual e Eleitoral.

REPASSES

Com base em dados do Portal da Transparência e do Tome Conta, do TCE, Silvio Costa coletou informações mostrando que os repasses voluntários feitos pelo governo do Estado entre janeiro e novembro de 2015 foi de R$ 2,1 milhões. Nos meses de dezembro de 2015 a junho de 2016, período considerado por Silvio como pré-eleitoral, o valor saltou para R$ 101,5 milhões. Aumento de 50 vezes. Passada a eleição, entre dezembro de 2016 e junho deste ano, o valor ficou em R$ 2,9 milhões.

A quantia repassada durante os sete meses foi destinada ao Hospital da Mulher e a Emlurb (recuperação de praças, escadarias e passarelas). Os dados desconsideram repasses constitucionais obrigatórios e emendas parlamentares. A unidade de saúde foi inaugurada em maio do ano passado.

"Os repasses do Estado para a Prefeitura do Recife mostram que houve ação do Estado para beneficiar o aliado", afirmou o deputado. "Está caracterizada uma ação eleitoral para beneficiar seu candidato da época", acrescentou.

DEFESA

O líder do governo, Isaltino Nascimento (PSB), classificou a denúncia como "choro de derrotado". Segundo ele, não houve favorecimento. "Todo governo dá sua parcela de contribuição ao Recife", afirmou. 

Na tribuna, o vice-líder do governo Rodrigo Novaes (PSD) afirmou que a posição de Silvio denota angústia ante o resultado da eleição do ano passado, em que foi líder de João Paulo (PT). 

Segundo ele, o governo do Estado tratou de forma correta o aliado politico e o povo recifense. Em sua fala, ele ainda provocou o líder da oposição ao questioná-lo se ele não queria que o Hospital da Mulher ou o Compaz ficassem prontos. 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias