ELEIÇÕES 2018

João da Costa: PT não deve buscar disputar governo sozinho

À espera de Lula, João da Costa avalia possibilidade de alianças do PT com o PSB e PTB em 2018

Paulo Veras
Paulo Veras
Publicado em 24/08/2017 às 17:30
Foto: Marcela Balbino/Especial para o JC
À espera de Lula, João da Costa avalia possibilidade de alianças do PT com o PSB e PTB em 2018 - Foto: Marcela Balbino/Especial para o JC
Leitura:

Com informações da repórter Marcela Balbino

Em uma conversa com a imprensa antes da chegada do ex-presidente Lula ao Museu Cais do Sertão, no Bairro do Recife, o ex-prefeito da Capital João da Costa, defendeu, na tarde desta quinta-feira (24), que o PT deve buscar aliados e não apresentar sozinho uma candidatura ao governo do Estado no próximo ano. O ex-prefeito disse que nesse momento os petistas não estão buscando uma aliança com o PSB, mas que na política é difícil afirmar o que vai ocorrer dentro de oito meses. João da Costa também sinalizou para legendas como o PDT e o PCdoB.

"O PT tem que apresentar uma alternativa. Mas não pode ser uma alternativa do eu sozinho. Porque nessa conjuntura a gente precisa ampliar ao máximo. A gente está vivendo uma conjuntura de exceção", afirmou. "O PT sozinho pode ser uma contingência. Não pode ser a política que o PT implemente. Não pode o tempo inteiro você dizer candidatura própria como se ela fosse o sinônimo de que o PT deve sair só. A candidatura do PT tem que ser uma alternativa para buscar aliados e discutir com eles alternativas para Pernambuco. Você só fica dizendo candidatura própria, candidatura própria, e todo mundo da política entende que a gente quer sair sozinho", explicou.

PSB E PTB

Questionado se era possível uma reaproximação com o PSB, João da Costa disse que os socialistas pagam hoje o preço de não terem um posicionamento claro, com seus integrantes discordando sobre as reformas e a privatização da Eletrobras, controladora da Chesf. "Hoje, não existe nenhuma (possibilidade de aliança com o PSB). Mas na política a gente não pode dizer daqui a oito meses", ressalvou.

O ex-prefeito também pareceu pouco inclinado a repetir a aliança com o PTB. "A aliança que eu defendo que o PT tem que buscar é que tem que defender a democracia, estar comprometido com a candidatura de Lula, tem que estar comprometido com as defesas dos direitos dos trabalhadores. Não pode estar no Congresso apoiando reforma da previdência. Já votaram a favor da reforma trabalhista", se queixou.

Newsletters

Ver todas

Fique por dentro de tudo que acontece. Assine grátis as nossas Newsletters.

Últimas notícias