PRIVATIZAÇÃO

Em carta, governadores do NE criticam privatização da Eletrobras

Gestores pedem a exclusão da Chesf do grupo Eletrobras e transformá-la numa empresa pública, vinculada ao Ministério da Integração

Da Editoria de Política
Da Editoria de Política
Publicado em 05/09/2017 às 14:53
Foto: Chesf
Gestores pedem a exclusão da Chesf do grupo Eletrobras e transformá-la numa empresa pública, vinculada ao Ministério da Integração - FOTO: Foto: Chesf
Leitura:

Três semanas após o anúncio da privatização da Eletrobras pelo governo federal, os governadores do Nordeste divulgaram uma carta conjunta demonstrando a insatisfação com a decisão, especificamente com a venda da Companhia Hidroelétrica do São Francisco (Chesf).

No documento, os gestores adotam o discurso de que o objetivo da venda não é, apenas, aumentar a eficiência do setor elétrico, mas socorrer as finanças do governo com recursos captados nas operações.

“Vozes de diferentes quadrantes técnicos e políticos pedem, no mínimo, o aprofundamento do debate, enquanto questionam aspectos e pedem esclarecimentos”, diz texto.

Gestores pedem a exclusão da Chesf do grupo Eletrobras e transformá-la numa empresa pública, vinculada ao Ministério da Integração

“A transferência para investidores privados do controle operacional das usinas do Sistema Eletrobras, particularmente daquelas geridas pela Chesf, condicionará por décadas todo projeto ou ação que demande água do Rio São Francisco”, argumentam os governadores.

A carta foi protocolada junto à presidência da República. Assinaram o texto os gestores dos nove Estados da região: Renan Filho (Alagoas), Rui Costa (Bahia), Camilo Santana (Ceará), Flávio Dino (Maranhão), Ricardo Coutinho (Paraíba), Wellington Araujo (Piauí), Jackson Barreto (Sergipe) e Paulo Câmara (Pernambuco).

LEIA A ÍNTEGRA DA CARTA:

Últimas notícias