briga no PMDB

Aliados de Jarbas farão ato de desagravo no Recife

Evento organizado 'pelos amigos' do deputado será na próxima segunda (18) às 18h, no JCPM

Da Editoria de Política
Da Editoria de Política
Publicado em 14/09/2017 às 19:20
Foto: Agência Câmara dos Deputados
Evento organizado 'pelos amigos' do deputado será na próxima segunda (18) às 18h, no JCPM - FOTO: Foto: Agência Câmara dos Deputados
Leitura:

Em meio à briga figadal nas entranhas do PMDB do Estado entre o deputado federal Jarbas Vasconcelos e o senador Fernando Bezerra Coelho, recém-ingresso na sigla, aliados do cacique histórico da legenda farão ato de desagravo na próxima segunda-feira (18), no auditório do JCPM, no Pina, a partir das 18h.

O movimento surgiu pelas redes sociais e devem marcar presença no ato o prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB), e o governador do Estado, Paulo Câmara (PSB). Os socialistas nos últimos dias deram declarações de apoio ao ex-governador. Jarbas e Raul Henry são as principais lideranças do PMDB no Estado, mas semana passada o senador Fernando Bezerra se filiou à sigla e a Executiva Nacional tomou a decisão de lançar candidatura própria em Pernambuco, o que atinge em cheio a aliança entre PMDB e Paulo Câmara.

Além disso, a perspectiva é que o Diretório Estadual seja dissolvido para FBC ficar à frente da presidência.

Fernando Bezerra Coelho trocou o PSB para o PMDB para levar o partido para a oposição ao governador Paulo Câmara (PSB). Ele trabalha para que Fernando Filho seja candidato ao Palácio do Campo das Princesas.

BRIGAS PÚBLICAS

Jarbas e Fernando trocaram farpas publicamente. O primeiro na tribuna da Câmara e o segundo no Senado. Na Câmara, Jarbas acusou FBC de traição.

Jarbas iniciou seu discurso armando que há uma "tentativa sórdida" de calar sua voz. "A manobra ardilosa que pretende me atingir está sendo maquinada pelo senador Fernando Bezerra Coelho que diz está seguindo orientação da presidência nacional do PMDB, do senador Romero Jucá", disparou.

O ex-governador chamou Fernando, então, de "adesista de ocasião", defendeu a legitimidade do diretório estadual, presidido pelo vice-governador Raul Henry, que pode ser dissolvido por Jucá e prometeu resistir e não se curvar diante da mesquinharia de homens que usufruem de um poder efêmero e frágil.

Em uma reação às críticas de Jarbas, o senador afirmou que foi convidado a entrar no PMDB, disse ser vítima de agressões de
quem busca justificar seus próprios erros e disparou contra o ex-governador: "cinismo".

Com apoio da direção nacional da legenda, FBC deve assumir o comando do PMDB em Pernambuco para conduzir o partido para a oposição ao governador Paulo Câmara (PSB). O discurso ocorreu enquanto uma reunião da Executiva Nacional debatia o futuro do diretório estadual. A assessoria de imprensa do deputado Jarbas Vasconcelos disse que ele não se pronunciaria sobre o discurso.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias