Memória

Centro de Memória do TRE-PE preserva a história da democracia

Museu que funciona no casarão da Avenida Rui Barbosa conta a história das eleições que se misturam à memória institucional do TRE-PE

Luisa Farias
Luisa Farias
Publicado em 15/10/2017 às 19:36
Bob Fabisak / JC Imagem
FOTO: Bob Fabisak / JC Imagem
Leitura:

O casarão do Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco (TRE-PE), na Avenida Rui Barbosa, 230, no bairro das Graças, abriga uma parte importante da recente história do Brasil: o Centro de Memória da Justiça Eleitoral (Cemel), que funciona em uma sala de 42,18 m². Pensado há mais de 10 anos por um grupo de servidores do tribunal, o projeto do museu foi executado em nove meses após após sua aprovação e inaugurado no dia 2 de agosto de 2016.

O espaço do Cemel foi projetado nos mínimos detalhes, desde a porta da sala, estampada com uma foto do Carnaval do Recife. “A gente costuma falar aqui que a eleição é a grande festa da democracia. Fazemos uma relação da festa democrática que é o voto, que atrás da urna todo mundo é igual, com a nossa festa popular mais característica e democrática, que é o carnaval”, conta o historiador Bruno Vitorino, também integrante da comissão.

Caminhos da democracia

A exposição Caminhos da Democracia: Uma história da Justiça Eleitoral de Pernambuco busca resgatar a memória das eleições do país, desde o tempo da colonização até os dias atuais, que se mistura com a memória institucional da Justiça Eleitoral do Estado. Os painéis em preto e branco remetem aos períodos mais “sombrios” da democracia, como no Estado Novo, em 1937, ano em que a Justiça Eleitoral foi extinta, sendo restabelecida apenas em 1945, quando os painéis voltam a ficar coloridos. Fatos históricos de Pernambuco, como a primeira mulher no Estado a votar, Celina Nigro, em 1932, o regime militar, que instituiu o bipartidarismo, a campanha pelas eleições diretas e o advento das urnas eletrônicas também estampam as paredes do Cemel.

Fotos antigas trazem o contexto histórico do Estado em relação aos acontecimentos retratados, como a da Ponte Duarte de Macedo, com vista para o Palácio do Campo das Princesas em 1905, e a da sede do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) na década de 30, onde por muitos anos funcionou o TRE-PE, até ganhar a sua primeira sede, em 1977.

O objetivo da exposição é o despertar da consciência dos que visitam o espaço sobre a importância do voto na construção da democracia. “A partir do momento que você conhece a sua história, você sabe para onde você quer ir, você faz as mudanças, as transformações surgem desse fato”, conta a servidora Liziane Maggi, também integrante da comissão do Cemel.

Bob Fabisak / JC Imagem
Exposição "20 anos das Eleições Informatizadas no Brasil" traz todos os modelos de urna eletrônica - Bob Fabisak / JC Imagem
Bob Fabisak / JC Imagem
Exposição "Caminhos da Democracia: Uma história da Justiça Eleitoral de Pernambuco" - Bob Fabisak / JC Imagem
Bob Fabisak / JC Imagem
Entrada do espaço traz foto do carnaval, que se assemelha às eleições por serem festas democráticas - Bob Fabisak / JC Imagem
Bob Fabisak / JC Imagem
"A gente costuma falar aqui que a eleição é a grande festa da democracia", diz Bruno Vitorino - Bob Fabisak / JC Imagem

No acervo, há cédulas de votação das eleições de 1845, urnas de lona e madeira, modelos de folha de votação e até o registro de candidatura de Miguel Arraes para o governo estadual em 1963, mandato cassado posteriormente pela ditadura. "Temos um acervo de mais de 1000 documentos ainda para serem tratados, catalogados. A gente vai fazer futuramente outras exposições temáticas, sobre o voto da mulher, por exemplo, candidatos em Pernambuco, sobre eleições, a eleição envolve muita coisa, muita informação. Esse é só o pontapé inicial", projeta o bibliotecário Gilvan Mendonça, integrante da comissão do museu. 

A exposição 20 anos das Eleições Informatizadas no Brasil, também do Cemel, mostra todas as eletrônicas utilizadas desde a informatização das eleições. Na elaboração do espaço, a questão da acessibilidade foi considerada, desde o projeto luminotécnico, voltado para os autistas, até a disposição dos objetos na sala para os deficientes físicos.

Visitas guiadas

Os interessados em visitar o Centro de Memória da Justiça Eleitoral de Pernambuco (CEMEL) devem enviar e-mail para cemel@tre-pe.jus.br para o agendamento das visitas guiadas. 

Últimas notícias