ARTICULAÇÃO

Armando Monteiro Neto espera contar com o PMDB nas eleições 2018

O senador fala de um projeto de oposição e já acena para o grupo do senador Fernando Bezerra Coelho (PMDB)

Da Editoria de Política
Da Editoria de Política
Publicado em 26/11/2017 às 22:10
Foto: Leo Caldas/Divulgação
O senador fala de um projeto de oposição e já acena para o grupo do senador Fernando Bezerra Coelho (PMDB) - FOTO: Foto: Leo Caldas/Divulgação
Leitura:

O grupo de oposição ao Palácio pode ficar mais robusto. O senador Armando Monteiro Neto (PTB) disse, neste domingo (26/11) que “espera poder contar com o PMDB, que é o grupo do senador Fernando Bezerra Coelho num projeto vitorioso para Pernambuco” se referindo à disputa na chapa majoritária de 2018, quando será eleito o novo governador do Estado. Segundo ele, esse grupo poderá ter representantes de partidos como PSDB e DEM, que estava alinhados com o PSB na eleição de 2014, quando Paulo Câmara (PSB) foi eleito governador. Nessa época, só estavam na oposição o PTB, o PT e o PDT.

Segundo o senador, o próximo passo desse grupo de oposição será estabelecer os critérios da definição da chapa. “A nossa expectativa é de que isso ocorra até fevereiro de 2018. Até lá, todos esses atores estarão se movimentando”, contou, sem acrescentar detalhes. “Já tínhamos três partidos alinhados conosco: o Podemos ( do deputado federal Ricardo Teobaldo), o PRB, – do deputado estadual Sílvio Costa Filho –, e o Avante, de Sílvio Costa. Agora, é hora de juntar forças para termos um projeto vitorioso, encerrando um ciclo de 12 anos do PSB”, argumenta.

Neste domingo, o senador participou de uma grande reunião no município de Surubim, no Agreste, na qual estiveram presentes mais de 200 pessoas, incluindo representantes de cerca de 30 municípios que são prefeitos, ex-prefeitos, parlamentares e empresários, de acordo com a assessoria do senador. “O encontro foi acima das nossas expectativas”, revelou.

O senador diz estar à disposição para liderar esse projeto (da chapa) desde que seja convocado pelas forças de oposição. “Quero ajudar a construir um projeto vitorioso em Pernambuco”, acrescentou. E destacou que é preciso reunir as lideranças em torno de um projeto que permita Pernambuco consolidar suas conquistas, construir um futuro melhor para os pernambucanos, que faça o Estado voltar a crescer, resgatando a liderança nacional que sempre ocupou no passado.

POSITIVO

O senador vê como positiva a postura do PT ter uma candidatura própria ao governo do Estado no pleito de 2018. “Torcemos para que o PT continue na oposição. Poderemos ter um entendimento no segundo turno”, conta Armando. “O que não entendemos é que o PT, por qualquer injunção, se alinhe com aqueles que destituíram a presidente Dilma (PT)”, revelou. “Por isso, torço, dialogo e tenho o maior respeito pelas lideranças do PT de Pernambuco. Desejo que elas continuem postadas na oposição, ainda que se expresse numa candidatura própria”, concluiu.
Também participaram da reunião em Surubim os deputados federais Ricardo Teobaldo (Podemos), Silvio Costa (Avante) e Zeca Cavalcanti (PTB); os estaduais Silvio Costa Filho (PRB) e Julio Cavalcanti (PTB); além de outros políticos.

Há cerca de 10 dias, o ministro da Educação, Mendonça Filho (DEM) defendeu, em entrevista ao cientista político Antonio Lavareda, que a oposição se unisse para apresentar um projeto para Pernambuco.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias