PERNAMBUCO

Paulo rebate Temer: 'éramos a favor de novas eleições e nunca aceitamos cargos'

O governador afirma que nunca apoiou o governo Temer e que era a favor de novas eleições

Ana Tereza Moraes
Ana Tereza Moraes
Publicado em 29/08/2018 às 10:45
Foto: Guga Matos/JC Imagem
FOTO: Foto: Guga Matos/JC Imagem
Leitura:

Após o presidente Michel Temer declarar que não negligenciou Pernambuco durante seu governo, o governador Paulo Câmara voltou a afirmar que o Estado foi discriminado, em suas palavras, pela gestão de Temer. Segundo o governador, o presidente "só beneficiou os estados ricos" e "não olhou o Nordeste, não ajudou Pernambuco, não teve compromisso conosco" e frisou que não recebeu "nem um real" para algumas obras.

Quanto as declarações do peemedebista sobre a boa relação que ambos tinham no passado, Paulo também rebateu: "Vamos primeiro separar o que é cordialidade do que é apoio. É bem diferente. O presidente Temer não tem o nosso apoio e nunca teve em nenhum dos momentos do nosso governo. Éramos a favor de novas eleições e nunca aceitamos cargos no governo do Temer".

Por outro lado, em 2016, o governador chegou a liberar quatro secretários, deputados federais licenciados, para voltar à Câmara e participar da votação do processo de impeachment contra a então presidente Dilma Rousseff (PT). Os nomes eram André de Paula (PSD), Danilo Cabral (PSB), Felipe Carreiras (PSB), todos a favor do impeachment, e Sebastião Oliveira (PR), que absteve seu voto.

Ouça a entrevista de Temer:

Ouça a entrevista de Paulo:

Paulo fala em retaliação e falta de repasse

"É muito necessário separar essas questões. O presidente Temer sempre que veio a Pernambuco e se prontificou a ajudar, mas não ajudou. Não tivemos nenhum recurso, nenhum apoio para a reconstrução das casas atingidas pela chuvas, nem nenhum cartão reforma", garantiu Paulo.

O candidato a reeleição pelo PSB citou ainda que o peemedebista não cumpriu promessas como devolver a autonomia de Suape, em retaliação ao voto do partido contra a reforma da Previdência.

"Não foi repassado um real para a obra da Adutora do Agreste. Tivemos que fazer obras com recursos do governo do Estado para suprir essa falta. [...] Estamos com faturas em aberto porque não recebemos", apontou.

Em Pernambuco, entenda o paradoxo Paulo-Temer

Foto: Guga Matos/JC Imagem
Temer e Paulo em evento na fábrica da Jeep - Foto: Guga Matos/JC Imagem
Foto: Guga Matos/JC Imagem
Temer e Paulo em evento na fábrica da Jeep - Foto: Guga Matos/JC Imagem
Foto: Guga Matos/JC Imagem
Temer e Paulo em evento na fábrica da Jeep - Foto: Guga Matos/JC Imagem
Foto: Aloisio Nunes/SEI
Temer e Paulo em reunião sobre enchentes na Mata Sul - Foto: Aloisio Nunes/SEI
Foto: Valter Campanatto/Agência Brasil
- Foto: Valter Campanatto/Agência Brasil
Foto: ABr
Temer e Paulo na inauguração do IFPE em Serra Talhada - Foto: ABr

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias