Oposição

'Vamos fazer uma oposição consciente', diz Anderson Ferreira após assumir PR

Segundo o prefeito de Jaboatão Anderson Ferreira, o PR de Pernambuco seguirá orientação nacional e fará oposição ao governador Paulo Câmara (PSB)

Luisa Farias
Luisa Farias
Publicado em 19/12/2018 às 19:56
Foto: Divulgação
Segundo o prefeito de Jaboatão Anderson Ferreira, o PR de Pernambuco seguirá orientação nacional e fará oposição ao governador Paulo Câmara (PSB) - Foto: Divulgação
Leitura:

Atualizada no dia 20/12/2018 às 17h37

Novo presidente do PR de Pernambuco, o prefeito de Jaboatão dos Guararapes, Anderson Ferreira (PR), garantiu que a sigla irá fazer oposição ao governador Paulo Câmara (PSB) agora sob o seu comando. Anderson ganhou a presidência em meio a uma disputa com o então presidente, o deputado federal Sebastião Oliveira (PR), aliado do governador. A nova composição do diretório foi aprovada por unanimidade pela Executiva Nacional nessa segunda-feira (17) e tem a ver com o alinhamento do partido com o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL). 

"O meu posicionamento todos já conhecem. Eu fui oposição ao governo que ai está e o partido vai seguir a mesma orientação. Vamos fazer uma oposição consciente, a gente não está fazendo oposição por oposição. Nós temos que apontar os erros para que esse governo possa corrigir e a população seja contemplada com esse debate democrático", afirmou Anderson Ferreira. 

Segundo Anderson, a escolha do seu nome é fruto do reconhecimento da gestão na Prefeitura de Jaboatão. Mas ele admitiu que "o novo momento" em que país vive foi levado em consideração. O PSC apoiou a candidatura do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) nas eleições de outubro, enquanto em Pernambuco, Sebastião apoiou o candidato Fernando Haddad (PT). 

"Assumimos esse novo desafio para tocar o partido, buscar quadros para o partido nesse momento dessas eleições municipais que já se aproximam, que enxerguem essa mesma visão e a leitura política que nós temos para o Estado", contou Anderson. Há partidos, como o PHS, que correm o risco de serem extintos por conta da cláusula de barreira. Os parlamentares filiados teriam, portanto, que se filiar a outras siglas. Ingressar no PR seria uma possibilidade. 

Projeto para 2020

Com o comando do PR, o clã Ferreira fica a frente de dois partidos políticos em Pernambuco. O deputado federal eleito André Ferreira (PSC) é presidente do PSC-PE. O grupo, formado pelos irmãos André e Anderson, o cunhado e vereador Fred Ferreira (PSC) e o deputado estadual eleito Manoel Ferreira (PSC) se preparam para a disputa às prefeituras do Estado em 2020. "O país vive esse momento em que novas lideranças surgem e a o PR vai dar com certeza essa contribuição e vai ter como aliado o PSC", cravou Anderson. 

No radar do PSC, está o Recife, com o próprio André Ferreira como nome cotado; Camaragibe, com Bosco (PSC), ex-vice prefeito do município na gestão de Jorge Alexandre (PSDB); Cabo de Santo Agostinho; Igarassu, com o deputado estadual eleito Junior Uchôa (PSC). O ex-presidente da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), Guilherme Uchôa, se manteve aliado a Paulo Câmara mesmo após o PSC desembarcar da base governista. Junior Uchôa, inclusive, esteve presente no Palácio do Campo das Princesas nessa quinta-feira (20) no evento de assinatura de portarias para liberação de recursos do Ministério da Saúde e entrega de veículos para o combate às endemias, com a presença do ministro da saúde Gilberto Occhi. 

O comando de cidades do interior também é cobiçado, como em Araripina, com Dr. Aluísio Coelho (PSC), que foi candidato a deputado estadual; Ouricuri, com Antônio Fernando (PSC), candidato a deputado estadual em outubro. 

Filiados 

Atualmente, o PR possui dois deputados na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe): Rogério Leão (PR) e Henrique Queiroz Filho (PR) e na Câmara dos Deputados, apenas Sebastião Oliveira. Ele é ex-secretário de Transportes, pasta que tradicionalmente ficou sob o comando do partido nas gestões do PSB no Estado. 

A briga entre Anderson Ferreira e Jaboatão Oliveira não vem de hoje. O prefeito de Jaboatão tornou-se presidente da sigla em 2014, mas perdeu o posto por ter votado a favor do impeachment da então presidente Dilma Roussef (PT) em 2016, desobedecendo a orientação do PT. Após isso, Sebastião ganhou o comando da sigla. "Essa disputa nunca acabou, vai continuar", brincou Sebastião após a cerimônia de diplomação dos eleitos em 2018 realizada no dia 6 de dezembro, no Classic Hall.

Anderson afirmou que não conversou ainda com Sebastião. Ele, por sua vez, não retornou os contatos do JC

Newsletters

Ver todas

Fique por dentro de tudo que acontece. Assine grátis as nossas Newsletters.

Últimas notícias