Debate

'São dois privilegiados', diz Mário Ricardo sobre prefeitos de Olinda e Paulista

Segundo o prefeito de Igarassu, aliados de Paulo Câmara tendem a receber maior atenção do Palácio

Maria Eduarda Bravo
Maria Eduarda Bravo
Publicado em 02/07/2019 às 11:43
Notícia
Foto: Divulgação
Segundo o prefeito de Igarassu, aliados de Paulo Câmara tendem a receber maior atenção do Palácio - FOTO: Foto: Divulgação
Leitura:

Participante do debate na Rádio Jornal nesta terça-feira (02), o prefeito de Igarassu, Mário Ricardo (PTB), pediu ao governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), que investisse no município como investe nas cidades de Olinda e Paulista, ambas localizadas no Grande Recife. "São dois privilegiados. Como aliados do governador eles tem um tratamento diferenciado", disse o gestor igarassuense aos risos. 

Segundo Mário, ele e o governador mantem um relacionamento republicano, mas recursos repassados para Olinda e Paulista não chegam para Igarassu. "Temos um relacionamento bom, republicano. Não chegam os recursos que chegam para Paulista e Olinda, mas chegam alguns outros", acrescentou. 

Por fim, o petebista completou seu argumento elogiando o secretário de Turismo do Estado, Rodrigo Novaes. "Rodrigo Novaes estão fazendo um ótimo trabalho. É preciso ressaltar as coisas boas. Alguns pedidos que vamos fazer para o governador que tenha um olhar para o Igarassu", afirmou.

Sobre recursos para fazer melhorias na cidade, o gestor de Igarassu comentou que um dos problemas é a demora dos repasses do Governo Federal para os municípios. "Nós estamos apostando naquilo que o presidente disse na campanha, que é menos Brasília e mais Brasil. Ainda não estamos vendo isso. Estamos sofrendo hoje, que no segundo semestre esse problema melhore. É preciso que os recursos de Brasília cheguem mais rápido ara os municípios", completou. 

Ponte do Janga

Uma das obras mais problemáticas da Região Metropolitana do Recife (RMR) entrou no debate: a Ponte do Janga. Questionado, o prefeito de Paulista, Junior Matuto, contou que a obra agora pertence a Prefeitura e não mais ao Estado. Em entrevista à Rádio, nesta terça (02), o gestor lembrou que a expectativa é de que as obras sejam concluídas em 60 dias.

"Uma obra que ficou há mais de 8 meses paralisada por causa do repasse de recursos. O governador no dia 2 de junho depositou todo o dinheiro restante que faltava para concluir a obra. Só que tem um processo que a gente tem que fechar a conta. O recurso chegou, o difícil agora é o equilíbrio. O governo do estado não tem nada a ver, a bola está no meu pé", cravou. 

 

 

Iniciada em janeiro de 2016, a duplicação da Ponte do Janga deveria ter sido originalmente concluída em um ano, a um custo de R$ 17 milhões. Devido a problemas contratuais e falta de recursos, foi ficando pelo caminho e causando irritação na população que circula pelo local. No ano passado houve uma retomada das obras.

Final do ano, a via passou por uma interdição de 48 horas, provocando a mudança de itinerário de 10 linhas de coletivos. Àquela época a prefeitura já tinha anunciado um cronograma de repasses por parte do governo para, finalmente, terminar os serviços da duplicação. 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias