justiça e segurança pública

Em Paulista, Moro promete integrar Força Nacional com ações sociais

Ministro destacou os números de diminuição da violência em Paulista, desde o início do programa, no início de setembro

JC Online
JC Online
Publicado em 21/10/2019 às 10:44
Notícia
Foto: EBC
Ministro destacou os números de diminuição da violência em Paulista, desde o início do programa, no início de setembro - FOTO: Foto: EBC
Leitura:

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, esteve na manhã desta segunda (21) no município do Paulista, Grande Recife. A visita foi para acompanhar o projeto "Em Frente, Brasil", que atua contra a criminalidade na cidade através da Força Nacional.

A agenda do ministro Moro está sendo acompanhada pelo governador Paulo Câmara e o prefeito de Paulista, Junior Matuto (PSB). Também estão acompanhando a visita o presidente da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) Eriberto Medeiros e o secretário estadual da Defesa Social, Antônio de Pádua.

Em sua fala, o ministro Moro afirmou que o projeto está em construção e que, em nova fase, deve investir também em ações sociais. "Queremos levar essa atuação com políticas sociais. É necessário destacar que esse é um projeto piloto, estamos construindo esse projeto. As lições que aprendemos aqui é  que juntos nos podemos mais", afirmou.

Moro destacou os números de diminuição da violência em Paulista, desde o início do programa, no início de setembro. "Em outubro, houve dois homicídios em Paulista até o momento. Ouvi do prefeito que essa já foi uma cidade com mais de 30 assassinatos por mês. O governo federal quer ser parte da solução do problema da violência. Vamos intensificar o policiamento ostensivo, sem descuidar da investigação. Prevenir é importante, mas é preciso retirar o criminoso perigoso de circulação", avaliou.

O ministro também ressaltou a importância da integração entre as forças policiais. "A ideia é termos uma postura mais proativa. O projeto foi planejado por meses. A execução foi iniciada no início de setembro. O importante é manter resultados consistentes", disse.

Junior Matuto, prefeito da cidade, também destacou a importância do projeto. "Vivemos um momento de muita complexidade. Desemprego assola no país, a autoestima da população anda adormecida. Tivemos o privilégio de juntar forças para combater a violência", analisou.

Visita adiada

A agenda - marcada originalmente para o dia 19 de setembro - havia sido cancelada dois dias antes pelo ministro. A justificativa era que o governador Paulo Câmara (PSB) não poderia acompanhar a visita como estava previsto. No mesmo dia 19 do mês passado, o líder do governo Jair Bolsonaro (PSL) no Senado, senador Fernando Bezerra Coelho (MDB), foi alvo de operação da Polícia Federal. O emedebista também iria acompanhar o ministro na agenda.

Na agenda, o ex-juiz da Operação Lava Jato deve participar de reunião com o gabinete da força-tarefa do projeto. Além da cidade pernambucana, os municípios de Ananindeua, no Pará, de Cariacica, no Espírito Santo, de Goiânia, em Goiás, e de São José dos Pinhais, no Paraná, também receberão homens da Força Nacional nesta primeira fase do projeto, que terá como foco a repressão aos crimes. 

O ministro autorizou, no dia 22 de agosto, o envio de homens da Força Nacional para Paulista. A medida vale por 120 dias a princípio. O prazo de atuação das tropas poderá ser prorrogado seja solicitado pelo órgão apoiado.

O município pernambucano e as outras quatro cidades receberam viaturas, equipamentos e ações na área de inteligência. Há ações nas áreas de cidadania, desenvolvimento ministerial, direitos humanos, economia, justiça e segurança pública, educação e saúde, trabalhando questões como a geração de empregos. O governo estadual afirmou que Paulista receberá um comitê interministerial.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias