Olinda

De olho na eleição, Antônio Campos lança movimento Muda Olinda

Presidente da Fundaj e agora filiado ao PRTB, Antônio Campos decide até abril se vai lançar novamente candidatura à Prefeitura de Olinda

Luisa Farias
Luisa Farias
Publicado em 02/03/2020 às 20:28
Foto: Divulgação
Presidente da Fundaj e agora filiado ao PRTB, Antônio Campos decide até abril se vai lançar novamente candidatura à Prefeitura de Olinda - FOTO: Foto: Divulgação
Leitura:

Em paralelo à sua filiação ao PRTB, partido do vice-presidente, General Hamilton Mourão, o presidente da Fundação Joaquim Nabuco Antônio Campos lançou o movimento "Muda Olinda", criado para estruturar uma frente no município em oposição ao prefeito Professor Lupércio (SD).

Antônio Campos foi candidato à Prefeitura de Olinda pelo PSB nas eleições municipais de 2016 e disputou o segundo turno contra Lupércio, eleito com 57,04% dos votos, enquanto Campos obteve 42,96%. Antes de ir para o PRTB, estava filiado ao Podemos. Sobre uma eventual candidatura nas eleições deste ano, ele afirma que tomará uma decisão até abril. 

>> Antônio Campos anuncia filiação ao PRTB, sigla do vice-presidente Mourão

>> Antônio Campos diz estar sendo ameaçado e pede proteção à Polícia Federal

>> Antônio Campos diz que briga com o sobrinho João Campos 'não é página virada'

Antônio disse ter tido conversas com o líder do governo de Jair Bolsonaro no Senado Federal, Fernando Bezerra Coelho (MDB) e com o presidente do Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur), Gilson Machado, antes de decidir filiar-se ao PRTB. O advogado ressaltou o objetivo do "Muda Olinda" de tirar o município de uma situação de dificuldades, contando com a ajuda do governo federal. 

Para Antônio Campos, o maior desafio enfrentado por Olinda atualmente é a "falta de gestão à frente da prefeitura da cidade". "Falta um moderno e inovador modelo de gestão, de uma máquina enxuta, eficiente, transparente, para sobrar recursos para os investimentos nas áreas estratégicas", pontuou. Ao se referir ao Professor Lupércio, o classificou como um "maquiador de obras". 

"Olinda tem cerca de 5 mil servidores, entre efetivos e comissionados, no limite prudencial da Lei de Responsabilidade Fiscal. Isso sem contar com os terceirizados, que estão contabilizados em outra rubrica. Como pode, assim, ter recursos para investir em educação, saúde, segurança, infraestrutura e políticas para a juventude, entre outros setores?", questionou. 

Presidente Kennedy

Ele mencionou a importância da requalificação dos 4,5 km da Avenida Presidente Kennedy, orçada em R$ 15,4 milhões, mas alegou que o debate da cidade não pode se resumir a esse tema. Segundo ele, apesar do prefeito ter feito um pedido de autorização de empréstimo à Câmara, há cerca de R$ 16 milhões disponíveis para investimento na Secretaria de Obras Públicas.

>> Reforma da Avenida Presidente Kennedy começa nesta segunda-feira

"Iremos cobrar que essa promessa seja efetiva e não mais uma obra de maquiagem, com uma placa e algumas iniciativas, com retirada de algumas faixas centrais, na avenida, afora faixas e outdoors, ficando inconclusa, como a UPA de Rio Doce, que foi dada ordem de serviço e está parada. A prefeitura deveria pedir recursos ao Governo Federal e certamente terá o apoio do Governo Bolsonaro e o nosso, independentemente das questões eleitorais. O interesse maior por Olinda é o que deve prevalecer.
Olinda quer a nova Kennedy e quer mais", afirmou Antônio Campos. 

Últimas notícias