Decoração

Apê com o DNA do inquilino

Uso de luminária e papel de parede são alguns dos bons aliados na empreitada de deixar o apê alugado com a sua cara

Rosália Vasconcelos
Rosália Vasconcelos
Publicado em 19/10/2013 às 14:24
Igo Bione/JC Imagem
Uso de luminária e papel de parede são alguns dos bons aliados na empreitada de deixar o apê alugado com a sua cara - FOTO: Igo Bione/JC Imagem
Leitura:

Lar bom é aquele que tem nossa cara, nosso cheiro, nosso jeito. Não importa se é casa ou apartamento, grande ou pequeno, ou mesmo um quartinho de pensão. O que vale é o aconchego. Quem mora com os pais ou em residência própria pode entender com facilidade o que esse sentimento significa. Mas quando o imóvel é alugado e o destino é incerto, vale usar de criatividade, bom senso e jogo de cintura para deixar a casa dos outros com a sua cara.

Há 13 anos, é esse o desafio dos mineiros Ana Lúcia e João Falabella. Juntos há 39 anos, desde o ano 2000 o casal vem conseguindo dar identidade aos imóveis que aluga a cada quatro anos. Como prestador de serviços em estaleiros, o marido de Ana Lúcia já passou por lugares tão diferentes quanto Angra dos Reis (RJ), Caraguatatuba (SP) e Cingapura.

“Temos que ficar morando de aluguel por conta das mudanças. Mas acho importante morar bem mesmo em imóveis que não são nossos. Para isso, tento colocar nossa identidade em cada lugar que moramos para sempre ter essa sensação de me sentir em casa”, justifica Ana Lúcia, que vive no Recife há dois anos. Entre as artimanhas usadas, ela destaca as cortinas e os móveis curingas, que ficam bem em qualquer lugar.

Diga-se, aliás, que uma das estratégias para dar vida ao lar são mesmo os móveis, as luminárias e os pendentes. Em especial, aqueles que não vão deixar marcas no ambiente e ainda podem ser reaproveitados em casos de mudança. É o que ensina a arquiteta Fernanda Durães. Também são bem-vindos adesivos e papéis de parede fáceis de remover, fitas washi tape, tapetes e poltronas personalizadas, acrescenta ela. Tudo isso traz personalidade ao ambiente.

“Valorizo minha casa expondo os objetos de que gosto, como discos e peças decorativas. E de quebra viro colecionador”, conta o artista plástico Daniel Araújo. As paredes cor de gelo – frias e feias, segundo ele – tiveram suas tintas de “terceira qualidade” trocadas pelo “branco-paz”, dando uma nova vida ao ambiente. A revitalização do chão de taco também fez uma grande diferença no apê do artista.

“Hoje vi o quanto foram importantes esses toques para entender o valor que essas mudanças tiveram no lugar onde vivo”, confessa Daniel.

Para Fernanda, cobrir de espelhos áreas do lar doce lar também é uma ótima saída. Dá profundidade e amplia o espaço. “A iluminação projetada é outra dica legal, porque valoriza o lugar de forma distinta e cria a cena de acordo com a personalidade do morador. Além disso, pode ser retirada quando o inquilino se mudar sem nenhum ônus,” ressalta.

Entre as intervenções em imóveis alugados não aconselhadas por especialistas, estão a demolição de alvenaria. “O contrato precisa regular qualquer intervenção a ser feita no imóvel, exceto em caso de real necessidade”, esclarece a advogada especialista em direito imobiliário Emília Belo.

No caso das mudanças não previstas em contrato, “o inquilino deve solicitar uma autorização por escrito do proprietário para se resguardar de qualquer problema futuro”, conclui Emília.

 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias