Persona

Além de bom de bola, Caça-Rato é vaidoso

Personagem folclórico do futebol pernambucano, tricolor adora cuidar da aparência e de curtir a família

Thiago Wagner
Thiago Wagner
Publicado em 02/12/2013 às 16:46
Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem
Personagem folclórico do futebol pernambucano, tricolor adora cuidar da aparência e de curtir a família - FOTO: Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem
Leitura:

Dentro de campo ele é predestinado a fazer gols decisivos para o Santa Cruz. Nas entrevistas, gosta de fazer piadas e brincadeiras com os jornalistas. Um personagem folclórico no futebol pernambucano. Esse é o recifense Flávio Caça-Rato. Fora das quatro linhas, o atacante de 27 anos mantém o estilo engraçado, mas se diz respeitador e humilde. Gosta de ficar com a família em casa e de cuidar do visual. Confira no papo com Thiago Wagner do Blog do Torcedor.

JC - Em primeiro lugar, explica esse apelido. De onde veio o Flávio Caça-Rato?
FLÁVIO CAÇA-RATO – Meu nome é Flávio Augusto Nascimento. O apelido Caça-Rato veio quando eu era pequeno e jogava com um pessoal mais velho lá na Campina do Barreto, onde eu morava. Eu tinha medo e não entrava no campo não, preferia ficar procurando rato lá perto. Aí o treinador reclamava e dizia: quer jogar ou caçar rato? Eu dizia que ia caçar rato. Aí ficou.

JC – E como é o Caça-Rato fora das quatro linhas? O que gosta de fazer?
CAÇA-RATO – Sou um cara respeitador. Gosto de brincar e sou humilde. Curto ficar com a família e passar o tempo em casa com meu filho, Flávio Augusto Nascimento Júnior.

JC – Algum lugar especial no Recife para passear?
CAÇA-RATO – Gosto de ir ao shopping com meu filho e minha esposa. Curto ficar passeando. Também gosto de curtir minhas folgas jantando em algum restaurante da cidade.

JC – E qual sua comida favorita?
CAÇA-RATO – A tradicional. Como feijão, arroz e ovos. Estou acostumado desde pequeno.

JC – E o visual? Como o Caça-Rato cuida da aparência?
CAÇA-RATO – Gosto de cuidar do cabelo. Curto ficar na moda. Esse visual que tenho agora vem dando sorte. Acho que vou manter por um tempo. Mas já conversei sobre algumas mudanças. Quem sabe um vermelho?

JC – Faz as unhas?
CAÇA-RATO – Não. Uma vez fui fazer e quase arrancam meu dedo. Briguei até com minha esposa.

JC – Por falar na sua mulher, como ela lida com sua fama?
CAÇA-RATO – Ela fica em cima. Dona Maria dá espaço não, mas sou respeitador e não arranjo problemas.

JC – Quando faz gols, você gosta de comemorar dançando. Que estilo de música prefere?
CAÇA-RATO – Curto de tudo um pouco. Lá em casa, tudo é misturado. Brega, pagode, funk... Quando saio para shows também. É diversificado

JC – Tem algum sonho? Recentemente, o vice-prefeito do Recife, Luciano Siqueira, fez um pedido: você na seleção Brasileira. Como lida com isso?
CAÇA-RATO – Meu sonho desde pequeno era jogar em um grande clube do Recife. Consegui realizar isso  no Santa Cruz. Soube do pedido do vice-prefeito, mas sei que há outros jogadores melhores. Não vou dizer que não sonho jogar na seleção, mas prefiro agora continuar trabalhando aqui.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias