Publicação

New York nas suas mãos

Jornalista Pedro Andrade lança guia completo sobre a cidade que nunca dorme

Luiza Modesto
Luiza Modesto
Publicado em 01/02/2014 às 12:00
Foto: Reprodução
Jornalista Pedro Andrade lança guia completo sobre a cidade que nunca dorme - FOTO: Foto: Reprodução
Leitura:

Todo domingo à noite, Pedro Andrade apresenta dicas culturais e gastronômicas de Nova Iorque no Manhattan connection (Globo News). Numa pegada jovem e rápida, o repórter carioca transporta o telespectador a restaurantes de todos os gêneros e, também, às mais recentes exposições de arte em cartaz na Big Apple.

O bom é que, agora, pode-se também ler as indicações do jornalista e ex-modelo carioca. Ele decidiu passar para o papel o que sabe sobre a cidade que nunca dorme ? sonho de consumo de turistas do mundo inteiro.

Pedro lançou em novembro O melhor guia de Nova York (Ed. Rocco, R$ 59,50). A publicação é deliciosa. Nas suas 272 páginas, o autor fala da cidade de Woody Allen como se fora a sua própria, tamanha a originalidade e fartura de detalhes. Também pudera, Pedro explora as mil e uma possibilidades de lazer e cultura da metrópole há dez anos. 

Dividido em segmentos, o guia é supercompleto. Cai bem tanto para turistas familiarizados com NY, como para os que nunca puseram os pés no Central Park. Como diz o jornalista-âncora do Manhattan connection, Lucas Mendes, na apresentação do livro: "você vai encontrar muito mais do que sugestões do Pedro sobre, bebida, comida, lojas, galerias e museus. Vai encontrar uma cidade que ele ama e divide com você noite e dia".

Pura verdade. O jornalista não deixa nada de fora. Amantes da gastronomia e das artes em geral têm dicas imperdíveis. Na parte dedicada ao jazz, por exemplo, ele faz breve resumo da chegada do ritmo à cidade e lista casas onde se pode curtir uma excelente noite embalada por jam sessions.

Para quem não tem coragem de ir até o Harlem (que perdeu aquela aura de lugar mais violento do mundo), uma das opções elencadas pelo autor é a famosa Blue Note, que fica no West Village. Lugar ideal para se ouvir ao vivo e a cores as maiores estrelas do jazz mundial. “As bebidas são caras, mas cá entre nós, temperam a música e a experiência. A entrada varia de US$ 20 a US$ 55”, encoraja.

No quesito gastronomia, Pedro também faz o dever de casa corretamente. O que há de melhor e interessante em NY estão nas páginas do guia. E com a propriedade de quem provou os melhores pratos e, ainda por cima, entrevistou o chef.

Entre as indicações para o brunch (uma das seções do guia), Pedro indica o minúsculo Prune, que fica na Houston Street (Lower East Side). “Oferece o melhor omelete que já comi na vida! (...) Sugiro chegar antes das 13h e não ir com um grupo grande”, conta ele, ao lembrar que as mesas são pequenas e a espera pode ser longa.

Outro detalhe interessante de O melhor guia de Nova York
são as historinhas entre uma dica e outra da publicação. Na parte sobre o Prune, Pedro diz para o leitor não se espantar “caso esbarre com Caetano, pois o próprio tem um apartamento lindo ali do lado”.

Não pense você que ele só falou de arte e deixou o capítulo compras (para muitos indispensável) fora do roteiro. Estão lá opções das mais variadas desde as baratex às mais caras.

E para facilitar a vida do viajante, ele lista por temas os endereços dos lugares por onde conduz o leitor ao longo das mais de 200 páginas do guia. É completo não é completo? 

Leia abaixo trecho do livro de Pedro Andrade.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias