tecnologia

iPad será fabricado no Brasil em julho

Ação foi antecipada de novembro para julho

Diogo Menezes
Diogo Menezes
Publicado em 12/05/2011 às 9:19
Leitura:

BRASÍLIA - O ministro da Ciência e Tecnologia, Aloízio Mercadante, disse nesta quarta-feira (11) que a Foxconn antecipou de novembro para o final de julho o início da produção de iPads e iPhones no Brasil. Segundo eles, as negociações entre o governo e a companhia taiwanesa estão avançadas.

Mercadante destacou os planos da Foxconn para fabricar os componentes, como displays eletrônicos no Brasil. "A proposta é uma integração vertical dessa indústria de componentes que hoje só são fabricados na Ásia. A primeira planta dessa empresa no Ocidente seria no Brasil.

O ministro afirmou ainda que o governo vai desenhar uma Política de Desenvolvimento Produtivo (PDP) específica para novos produtos que atraiam investimentos para o Brasil, como os tablets.

Segundo Mercadante, o governo está fazendo uma ampla revisão da lei de informática. Ele diz que a ideia é torná-la mais abrangente para atrair investimentos, especialmente na produção de software. Hoje, a lei trata da redução de tributos como o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para a fabricação de hardware.

"Do nosso ponto de vista, a lei é insuficiente para os desafios que existem hoje nessa área. Por exemplo, não temos nenhum incentivo na área de software, sendo que esse é um setor que gera muito valor agregado, competição e exportação de serviços. Hoje, a lei é muito mais um fator de busca de isonomia entre o polo industrial de Manaus e o resto do País do que de fomento", disse o ministro.

O ministro destacou que o Brasil está se tornando um mercado cada vez mais atraente para o setor de tecnologia. Para o Mercadante, os sinais disso são o fato de o País ser hoje o terceiro mercado mundial de vendas de computadores - foram 13,5 milhões no ano passado e serão 17 milhões em 2011 - e o lançamento do programa nacional de banda larga nas escolas, que possuem 69 milhões de alunos.

"Além disso, temos a Copa e a Olimpíada, que podem dar uma grande alavancagem nesse mercado de tecnologia. A indústria toda está de olho nisso", disse ele.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias