Comunicações

Ministro diz que haverá leilão complementar para 4G

Boa parte dos lotes ofertados não foi vendida no primeiro leilão, segundo ministério

Milton Raulino
Milton Raulino
Publicado em 14/06/2012 às 9:05
Leitura:

O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, disse nesta quinta-feira ter ficado satisfeito com os resultados do leilão de 4G realizado nesta semana pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). Mas como boa parte dos lotes ofertados não foi vendida, ele informou que um novo leilão, da faixa de 2,5 gigahertz, deverá ser realizado.

"Teremos de fazer um leilão complementar, mas o fato é que demos um passo decisivo para a implantação de uma tecnologia nova", disse o ministro durante sua participação do programa de rádio 'Bom Dia Ministro' na sede da Empresa Brasil de Comunicação (EBC). Na quarta-feira, o presidente da Anatel, João Rezende, disse que o novo leilão deve ser feito ainda em 2012, ou, no mais tardar, no começo de 2013.

O ministro destacou ainda o fato de as empresas que compraram o 4G - Claro, Vivo, TIM e Oi - serem obrigadas a dividir as obrigações na implantação da internet rural na frequência de 450 megahertz em todo o País. "Eles pagaram pelo 4G, mas levaram uma obrigação adicional. Além disso, as operadoras também terão de ampliar a rede de 3G para os lugares onde não ainda não há cobertura", acrescentou.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias