Competição

Hackathon da Campus Party Recife tem mais inscritos que a edição de São Paulo

Ao fim do segundo dia da festa geek no Recife, 49 ideias já estavam concorrendo no torneio que busca aplicativos para melhorar a cidade

Marina Barbosa
Marina Barbosa
Publicado em 19/07/2013 às 21:06
Foto: Igo Bione / JC Imagem
Ao fim do segundo dia da festa geek no Recife, 49 ideias já estavam concorrendo no torneio que busca aplicativos para melhorar a cidade - Foto: Igo Bione / JC Imagem
Leitura:

A competição que incentiva os campuseiros a desenvolver aplicativos para melhorar a infraestrutura da cidade já tem 49 inscritos na segunda edição da festa geek no Recife. O número supera o total de ideias apresentadas na edição da Campus Party que aconteceu em São Paulo no começo do ano. Lá, 31 ideias foram apresentadas no torneio chamado de Hackathon ou Hacker Cidadão.

No Recife, as ideias que concorrem ao Hackathon devem ser baseadas nos dados disponibilizados pela prefeitura no portal Dados Abertos. São informações sobre diversos setores da cidade, como educação, saúde, trânsito, meio ambiente e cultura. Os dados estão disponíveis desde o dia 15 de julho, mas os aplicativos devem ser desenvolvidos durante o evento.

Os projetos podem ser elaborados em grupo e precisam estar prontos até as 14h de sábado (20). Os inscritos têm que entregar o aplicativo programado e um vídeo que explique seu funcionamento. Todas as ideias serão avaliadas por uma equipe que vai escolher três finalistas. Os projetos mais bem avaliados serão anunciados às 20h de sábado. Seus criadores serão premiados com computadores e tablets.

INSCRITO – Uma das equipes inscritas no Hackathon é liderada pelo estudante Jessé Filho, de 23 anos, que cursa Sistemas de Informação na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Jessé está criando um aplicativo que avalia a infraestrutura dos colégios municipais com o apoio de três colegas de classe: Breno Rafael, 20; André Melo, 21; e Vandson Tenório, 20.

A ideia dos estudantes é criar um aplicativo que indique a quantidade de computadores e funcionários de cada escola do Recife. “Uma boa educação precisa de estrutura, e os colégios da cidade sofrem com isso. Com o aplicativo, os pais e alunos poderão analisar a qualidade das escolas de seus bairros”, explica Jessé.

O projeto pretende englobar as 308 escolas municipais que tiveram os dados publicados pela prefeitura na internet. Depois da Campus Party, os jovens esperam aprimorar o aplicativo e expor outros dados dos colégios. Além disso, pensam em montar um comparativo entre a situação atual das escolas e a do ano anterior, cujos dados também estão disponíveis.

Newsletters

Ver todas

Fique por dentro de tudo que acontece. Assine grátis as nossas Newsletters.

Últimas notícias