serviço

Como não ser enrolado pelo mau mecânico

Dica básica para os motoristas escaparem dessas pegadinhas é consultar sempre o manual do proprietário

Silvio Menezes
Silvio Menezes
Publicado em 27/07/2012 às 18:07
Leitura:

A cliente, uma moça com ar preocupado, para numa oficina e pergunta “qual o problema do carro?” O mecânico, com jeito fingido, responde: “Madame, tem que trocar a rebimboca da parafuseta”. A piada é antiga, mas ainda hoje ilustra bem como a falta de conhecimento básico sobre mecânica é utilizado por alguns profissionais para oferecer serviços que o cliente não precisa ou sugerir a troca de peças que sequer existem. É a “empurroterapia” do mau mecânico. A dica básica para os motoristas escaparem dessas pegadinhas é consultar sempre o manual do proprietário do veículo para tentar ter uma ideia do problema.

De qualquer forma, os especialistas dizem que o mecânico pode mesmo assim “recomendar” um serviço. Mas lembre-se, recomendação não é obrigação. “Baseado no uso que o motorista faz do carro, o mecânico pode recomendar, por exemplo, antecipar a troca do óleo”, alerta Alexandre Costa, consultor automotivo.

Confira as dicas do consultor no Jornal do Commercio deste domingo (29)

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias