são paulo

Carrões liberados para testes no Salão do Automóvel

A reportagem do JC deu uma voltinha no superesportivo Audi R8 GT Spyder, que custa R$ 1,2 milhão

Silvio Menezes
Silvio Menezes
Publicado em 25/10/2012 às 16:20
Foto: Sílvio Menezes/JC
A reportagem do JC deu uma voltinha no superesportivo Audi R8 GT Spyder, que custa R$ 1,2 milhão - FOTO: Foto: Sílvio Menezes/JC
Leitura:

A principal atração da Audi é o R8 GT Spyder. A montadora destinou só duas unidades para o Brasil ao preço de R$ 1,2 milhão (cada uma). A reportagem do JC deu uma voltinha de cinco quilômetros nas ruas da capital paulista, mas qualquer visitante poderá fazer um test-drive nele de hoje até o dia 4 de novembro. O modelo estará à disposição do público durante o Salão do Automóvel.

No primeiro contato, qualquer adulto pode se comportar como um garoto porque fica encantado com o brinquedo. Quem assume o volante logo recebe o abraço de um banco que mais parece um cockpit de Fórmula 1, sensação de segurança. Para dirigir, não muda a condução de um veículo comum. Antes que alguém pergunte, ele não tem luxo em excesso. Bem enxuta é a lista de equipamentos. O objetivo é oferecer alta performance. Se pisar, ele atende e rápido. Ou melhor, muito rápido. Faz de 0 a 100km/h em pouco mais de três segundos. O painel marca velocidade máxima de 350 km/h, mas por razões óbvias não chegamos nem na metade.

Para quem gosta de se mostrar, difícil encontrar algo melhor. Com a carroceria feita em fibra de carbono e alumínio, o superesportivo chama atenção pelo desenho conversível, pela pintura fosca e principalmente o ronco do motor V10 de 560 cavalos de potência (o propulsor de um veículo popular gira na casa dos 80 cavalos de potência). Nele, o motorista não anda, desfila. Toda a privacidade vai pro ralo. Vira uma celebridade mesmo em São Paulo onde não é difícil se deparar com carrões como Ferrari.

Do volante, é fácil ver o assédio nas ruas. Os marmanjos tiram fotos e levantam o polegar deixando clara a admiração pelo automóvel. Até mulher ao volante, que não costuma dar passagem a ninguém, joga o carro para direita para ver o carro melhor e dá uma conferida no motorista. As mais afoitas até se candidatam a dar uma voltinha. E a criançada, claro, cutuca o pai para ver o carrão.

Apesar de ser exclusividade e ter acabado de chegar ao Brasil, a imagem do R8 já é bastante conhecida. Na segunda-feira, ao ver o superesportivo, Neymar pediu para ir de São Paulo a Santos dirigindo o carro e foi autorizado pela Audi com a promessa de entregá-lo no dia seguinte. O esportivo alemão é o mesmo dos jogadores Messi (Barcelona) e Cristiano Ronaldo (Real Madrid). Para dirigir o superesportivo, basta apresentar o ingresso do Salão, ter carteira de motorista válida e fazer o agendamento no espaço montado pela Audi em frente ao Hotel Holliday Inn, antes de entrar no pavilhão, nos dias que o evento estará aberto para o público.

O agendamento será feito a partir do horário de abertura oficial do Salão de cada dia e o “passeio” começará uma hora depois, terminando todos os dias às 20h. O número de vagas é limitado a 21 felizardos por dia, em cada um dos quatro veículos. Agora, além do R8 GT Spyder (R$ 1,2 milhão), o público poderá guiar o S5 Cabriolet (R$ 387.900) e o TTS (R$ 315.482).

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias