SEMINOVO

Dicas para não errar na compra do carro usado

Especialistas dizem o que os motoristas devem observar na hora de escolher o seminovo ideal para levar pra casa

Da editoria Veículos
Da editoria Veículos
Publicado em 03/01/2015 às 10:32
Leitura:

Com tantas facilidades de compra e opções de modelos diferentes oferecidos pelo mercado automotivo, fechar negócio e levar um veículo para casa está cada vez mais fácil. Nos modelos zero-quilômetro não tem muito o que olhar. É ir a uma loja, pagar e levar. A dificuldade para muitos surge na hora de escolher um carro usado. Para o comprador, o principal interesse é saber a procedência do automóvel para que não venha a ter dor de cabeça no futuro.

Por isso, antes de bater o martelo e comprar o seu seminovo é importante ficar atento a alguns detalhes para não entrar numa roubada. "Antes de mais nada, o motorista interessado tem de procurar uma loja de credibilidade no mercado. Uma boa dica é, se possível, levar um mecânico de confiança para poder avaliar o veículo", disse Sabino Pinho, sócio da Imbiribeira Veículos, especializada na venda de seminovos.

Infográfico

Dicas para comprar um seminovo

Mas quem não conhece um profissional ou um parente que entenda de mecânica não precisa se preocupar, basta ficar atento a alguns detalhes do automóvel para aumentar as chances de se fazer uma compra sem arrependimentos. Com o passar do tempo, o carro começa a dar vários sinais de má conservação ou de uso exagerado sem a manutenção adequada. O comprador pode identificar esses sinais, mas precisa ficar atento. Isso porque vendedores mal intencionados tentam fazer uma espécie de maquiagem para esconder os defeitos e fazer com que o carro pareça mais novo do que realmente é.

“É comum chegar carros com a quilometragem adulterada. Nós identificamos essas fraudes porque constatamos que existe um desgaste prematuro de algumas peças e dispensamos o veículo já na avaliação, mas o leigo vai ter dificuldades para constatar o golpe e é sempre bom levar alguém que conheça mais de mecânica”, reforça Sabino.

Além da quilometragem, o comprador deve ficar atento a outras questões, como o estado e até a data de fabricação dos pneus, além de sinais de desgaste dos pedais e do volante. O motorista pode observar também a situação da parte interna do teto. O local pode apresentar sinais de sujeira ou mofo, de acordo com o tempo de uso do veículo. É raro encontrar um veículo seminovo com a forração do teto deteriorada.

Para ajudar a quem está interessado na aquisição de um automóvel seminovo, a reportagem do Jornal do Commercio listou outros pontos que entregam a real situação do veículo e o que você tem de observar antes de concretizar a compra.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias