LANÇAMENTO

Sandero esportivo em dose dupla

De uma só vez a Renault colocou no mercado o Sandero GT Line focado na aparência e o Sandero RS com motor mais forte e mais equipado

Edilson Vieira
Edilson Vieira
Publicado em 10/09/2015 às 9:00
Divulgação
De uma só vez a Renault colocou no mercado o Sandero GT Line focado na aparência e o Sandero RS com motor mais forte e mais equipado - FOTO: Divulgação
Leitura:

Numa época de vendas em baixa, a Renault, acredite, tem o que comemorar. Sua participação no mercado vem crescendo e atingiu 7,6% no mês de agosto passado, isso apesar na queda das vendas do setor girar em torno de 18%.

A proeza de crescer na crise foi possível graças ao Sandero que vem cada vez mais subindo no gosto do público e se mantém entre os 10 carros mais vendidos no Brasil.E para dar ainda mais gás às vendas do hatch, a Renault começa a vender no Brasil não uma, mas duas novas versões esportivas do Sandero: a GT Line e a RS.

Para a Renault não há incoerência em oferecer duas opções esportivas de um mesmo carro ao cliente. A dupla chega com propostas bem diferentes e para atender a um público bem distinto. A GT Line, de esportivo, só tem a aparência. É praticamente o mesmo Sandero que conhecemos com algumas perfumarias. O carro custa a partir de R$ R$ 48.990.

O Sandero RS é outra história. Até parece outro carro. Chega para brigar com modelos com Fiat Bravo, Ford Focus e até o Golf. Tem motor 2.0 de 150 cavalos.Se anda mais, é mais caro.O preço de tabela é a partir de R$ R$ 58.880.

O Renault Sandero R.S. começa a ser vendido esta semana e será o modelo mais caro da linha. Completão, o único opcional disponível são as rodas aro 17 (ele vem com aro 16) que custam R$ 1 mil. O Sandero RS tem controles eletrônicos de tração e estabilidade. Mas é no motor que está a grande diferença.

Um 2.0 de 150 cavalos, capaz de mover o hatch da imobilidade aos 100 km/h em oito segundos e levá-lo aos 202 km/h de máxima, segundo a Renault. O câmbio é manual e há o interessante recurso de configurar o carro através de um botão nos modos Standard, Sport e Sport+. O comando deixa o Sandero mais macio ou mais arisco, ao gosto do freguês.

O carro é um pouquinho rebaixado e a aparência convence. Lanternas diurnas em LED e ponteira de escape dupla. Boas surpresas são o sistema de direção, que agora é eletro-hidráulico, e o conjunto de freio a disco nas quatro rodas. Por dentro, volante com base achatada, bancos com detalhes em vermelho, além da assinatura Renault Sport, só para lembrar que ele foi desenvolvido pela mesma divisão francesa que prepara os carros de corrida da marca.

Já o Sandero GT Line vem com o conhecido motor 1.6 de 108 cavalos já presente na linha. Como diferencial, rodas aro 16, saias laterais e frisos cromados envolvendo os faróis de neblina. Por dentro, ar-condicionado digital, central multimídia com GPS e discretos detalhes na cor azul, além da inscrição GT Line no volante.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias