LANÇAMENTO

Chevrolet Cruze fica mais sofisticado

Completamente renovado o sedã de luxo ganha motor 1.4 turbo e sobe de categoria para justificar o preço

Edilson Vieira
Edilson Vieira
Publicado em 02/06/2016 às 8:00
Divulgação
Divulgação
Leitura:

SÃO PAULO - A Chevrolet lançou o novo Cruze. O modelo 2017, que chega este mês às concessionárias, é muito superior ao antigo. É um automóvel que apela pra um visual esportivo e abusa da tecnologia pra deixar a concorrência preocupada, porque dizer inveja pode soar mal. Do atual sedã restou praticamente o nome. No mais tudo é novo. Motor agora é turbo com consumo de popular, visual moderno pra tirar ainda mais o sono de adversários. O sedã subiu de categoria e quer ser tratado como premium.

Nada daquele papo tipo carro de Tiozão. O visual lembra o de um cupê, sedã com ares bem mais esportivo. Trouxe um mix das boas coisas encontradas na concorrência. Todo pacote de tecnologia como sistema que liga motor por controle remoto pra o ar ir esfriando a cabine, botão que faz a baliza pelo motorista, sensores que leem as faixas da estrada e impedem a invasão da pista contrária involuntariamente, dispositivo que emite alertas se identificar a redução brusca da velocidade do veículo à frente até um curioso compartimento que o motorista põe o celular lá e o próprio carro recarrega a bateria do telefone por indução, sem a necessidade de cabos.

Sem falar, claro, On Star. Esse serviço funciona da seguinte maneira: o motorista aperta um botão e o Cruze liga pra uma central. O dono do veículo pode fazer qualquer tipo de consulta que um atendente, do outro lado da linha, repassa informações como endereços, telefones e até horóscopo.

Divulgação
Chevrolet Cruze 2017 - Divulgação
Divulgação
Chevrolet Cruze 2017 - Divulgação

Andamos no carro por mais de 200 km por São Paulo. Na estrada deu pra ver que o motor novo 1.4 turbo de 153 cavalos casou bem com a carroceria. Responde bem e faz curva que é uma beleza. A sensação é de ter sempre o carro a mão. Só para comparar: o motor do Cruze atual é 1.8 de 144 cavalos de potência. A GM sabe da superioridade tecnológica em relação a outros sedãs médios do mercado. E partiu pra uma estratégia bem ousada. Elegeu o Toyota Corolla Altis e até o Audi A3 sedã como os rivais a serem combatidos.

A alegação é que é o Cruze é bem superior em muitos pontos e até fez teste no campo de provas para mostrar aos jornalistas que seu carro faz que os outros não conseguem. Num dos exercícios, por exemplo, o Corolla sem controle de tração rodou numa pista molhada. Já o Cruze se manteve na pista firme e forte. Nesse ponto ganhou de lavagem. Mas a gente sabe que a concorrência está repleta de virtudes e a compra envolve uma série de outros componentes. Em um vídeo postado nas redes sociais do JC com o Cruze, muita gente reclamou do preço, mesmo muitos reconhecendo que os valores do Brasil subiram em todos os segmentos.

O Cruze mais em conta sai por R$ 90 mil. O top de linha é R$ 107 mil. É caro ou barato? Aí cada um é que sabe onde o calo aperta. 

O editor viajou a convite da Chevrolet

Newsletters

Ver todas

Fique por dentro de tudo que acontece. Assine grátis as nossas Newsletters.

Últimas notícias