No Correio Braziliense: Rands deixa o PT

Publicado em 05/07/2012 às 8:59
Leitura:
A briga entre diretórios petistas e socialistas fez a primeira baixa no PT de Pernambuco. O deputado licenciado Maurício Rands anunciou sua desfiliação do partido, a devolução do mandato de deputado à sigla e seu afastamento do cargo de secretário de governo em Pernambuco, pela cota do PT. "Cometeram o grave equívoco de ter a pretensão de impor, a partir de São Paulo, um candidato à Frente Popular e ao povo do Recife", escreveu Rands, referindo-se à intervenção da direção nacional do partido nas eleições municipais do Recife. O deputado, assim como o prefeito, João da Costa, foram preteridos pela legenda que optou por cancelar as prévias e indicar o senador Humberto Costa (PT-PE) como candidato à disputa da capital. Apesar de escrever na "Carta ao povo de Pernambuco" que tem intenção de deixar a vida pública, aliados apontam que o destino de Rands é o PSB. Ontem, na reunião da executiva nacional, socialistas festejaram a possibilidade da filiação do ex-petista. "Estou saindo daqui para dizer a ele que seria uma honra receber Maurício Rands nos nossos quadros", afirmou o deputado Júlio Delgado (PSB-MG). No encontro da executiva, o partido homologou alianças formadas nos estados e determinou dissolução de comissões provisórias em Goiás e Maranhão, que firmaram acordos não ratificados pela direção partidária. A crise entre PT e PSB em Fortaleza, Recife e Belo Horizonte não reflete a totalidade da convivência das siglas em plano nacional, afirma o senador Rodrigo Rollemberg (PSB-DF). O PSB apoia o PT em cinco capitais e o PT apoia o PSB em duas. "Não teve nenhuma ação orquestrada, foram ações pontuais.", resume Rollemberg. Ciro atira O ex-ministro Ciro Gomes afirmou que está decepcionado com o senador Aécio Neves (PSDB-MG) pela participação do parlamentar na construção de alianças na corrida pela prefeitura da capital mineira. Em Belo Horizonte, o PT decidiu encerrar a aliança com o PSB às vésperas da corrida eleitoral. "Conversava, não, converso (com Aécio). E foi nessa conversa que me decepcionei. Se ele tem essa missão histórica (como herdeiro político de Tancredo Neves) ele não pode ficar botando faca no pescoço dos outros para cuidar de aliança de vereador." Em resposta a Ciro, Aécio afirmou que o PSDB sempre apoiou o prefeito Márcio Lacerda sem pedir nada em troca. "Meu amigo Ciro, por estar cuidando da política do Ceará, talvez não esteja acompanhando Belo Horizonte. O PSDB apoiou Márcio Lacerda sem fazer exigências. Quem rompeu a aliança foi o PT, que exigiu tudo, até mesmo o que o PSB não tinha condições de aceitar." "Seria uma honra receber Maurício Rands nos nossos quadros" Júlio Delgado (PSB-MG), deputado

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias