A máquina está moendo

Publicado em 27/09/2012 às 8:00
Leitura:
O cenário eleitoral, traçado pela pesquisa JC/IPMN, coloca Geraldo Julio a um passo de vencer a eleição do Recife no 1º turno. Essa leitura pode ser feita a partir da observação dos votos válidos, que deixa de fora os votos em branco e nulo. Ao considerar os válidos, a pesquisa revela que o socialista tem 47%. Em segundo, aparece Daniel Coelho com 25%, empatado tecnicamente com Humberto Costa, que registrou 22%. Mendonça Filho ficou com 5%. Eduardo Campos colocou “a máquina para moer”, termo que ele próprio costuma falar quando pede dedicação total aos correligionários para o cumprimento de tarefas. A prioridade é eleger Geraldo no primeiro turno. O governador não quer correr risco. Afinal, dois fatores podem interferir ou adiar os seus planos: o crescimento de Daniel e a estratégia do PT de vincular o processo da PPP da Compesa a um possível aumento na conta de água. Para barrar Daniel, o PSB deu visibilidade ao caso das notas frias para tentar imputar em Daniel a pecha de parlamentar que utilizou irregularmente verbas públicas. Para evitar uma recuperação de Humberto, o PSB impediu na Justiça que o PT utilizasse propagandas afirmando que a PPP privatizará a Compesa. Bem, o resto o próprio PT se encarrega de fazer. Eduardo conta ainda com o voto útil do eleitor que vota, de forma equivocada, no provável vencedor. Temos que acompanhar como Daniel e Humberto vão jogar o jogo cujas cartas estão sendo dadas pelo Palácio.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias